Um blog de crônicas da Barelândia para o mundo!

BTemplates.com

quinta-feira, 29 de março de 2012

Moacir Andrade obriga UFAM abrir curso de viado


Moacir Andrade fez a seguinte afirmação em discurso na Assembleia Legislativa:
“Homossexualismo é uma aberração da natureza e todos os homossexuais são viado e que viado nasce viado”.
O Moacir Andrade é professor universitário e artista plástico... ohhh raça!
Não sei qual é o pior.
Só sei que depois da declaração de que viado nasce viado e que não existe um curso dentro da UFAM voltado para a carreira de viado, a UFAM já está se manifestando a favor da criação dessa disciplina.
E vai encarregar o desocupado professor Moacir Andrade para ser o coordenador.
A UFAM pretende abrir o vestibular para o curso no ano que vem, já que está muito em cima da hora para ele entrar na grade do ENEM.
Vai bombar.
Por linhas tortas, o emérito reacionário e senil Moacir Andrade, professor universitário e artista plástico... ohh raça! Acabou por ajudar a criar um curso que nem a elite intelectual baré, cheia de viados, tinha pensado.
Um curso superior à nível de terceiro grau para a classe.
Com direito a diploma e tudo.
O Amazonas sempre a frente do seu tempo.
Oh raça!
Share:

Inventaram a lista negra do Facebook


Dois estudantes texanos inventaram um aplicativo para o Facebook que está virando um grande sucesso.
São estudantes do curso de mídias emergentes da Universidade do Texas.
Decidiram facilitar o compartilhamento de inimigos pela internet, criando um aplicativo no Facebook.
Através dele, cada usuário faz uma lista de inimigos e compartilha pela rede. Em vez de "like", "dislike", ou "friend", "unfriend".
Assim, criam-se redes de afinidades não em cima do que gostamos, mas do que não gostamos.
Ou seja.
Você já pode por na boca do sapo as pessoas que você detesta no Facebook.
As pessoas que adoram barraco no Facebook já tem um instrumento de difamação maaraaa para disseminar boataria contra os desafetos.
Basta para isso criar a sua lista negra.
Pronto.
O problema é que o Facebook lembra muito a realidade, tanto física quanto imaterial.
Tanto na vida real quanto no Facebook, aqui se faz aqui se paga.
Aquela pessoa que vive inventando lista negra vai acabar virando a lista negra de um monte.
E assim sucessivamente.
Portanto muito cuidado com sua listinha negra.
O problema do barraco é que ele pode cair na sua cabecinha.
Mas para quem quer usar o aplicativo assim mesmo, eis o link abaixo.
Mas me erre.
Share:

Um dia lindo para atravessar a ponte rumo ao nada


A majestosa ponte do bilhão já é um fato.
Apesar da roubalheira ela é nossa e temos o dever de usufruir dela.
Hoje está um dia lindo e Manaus está esplendorosa dentro do caos.
Dois bons motivos para atravessar a Ponte Rio Negro, calmamente com seu amor ao lado, ouvindo Lou Reed cantarolando guturalmente A Walk On The Wild Side.
Sem desespero, sem pressa, deixando a luminosidade desse dia maravilhoso conduzir o dia, assumir a direção do vento e dar asas ao mistério.
Nunca é tarde para que seu dia melhore e nunca é cedo para que você faça isso.
Como diz o caboco do alto da proa da sua canoa, se relaxar tudo vai entrar bem, graças a deus.
E para os pedestres como eu, que não tem a sorte de ter uma marida com carro, dá para atravessar a ponte do bilhão a pé também.
Manaus vista de longe e de fora parece linda.
Mas vai logo que de tarde vem aquela tempestade.
Que não deixa de ser bela também.
Share:

quarta-feira, 28 de março de 2012

A herança urbana da favela Manaus


Manaus começou a ser urbanizada pelos portugueses. No século XVII, na Belle Epoque, sofreu influencia francesa e inglesa.
O centro antigo da cidade obedece ao padrão que se concebe uma cidade.
Tem galerias pluviais próprias para uma cidade plantada em uma região que tem chuvas torrenciais como a nossa. Tem esgoto, saneamento básico que dura até hoje.
Possui quarteirões projetados, praças que no século XVIII já tinham iluminação.
Com o advento do Distrito Industrial e o inchaço da cidade ela sofre uma brutal desordem urbana.
A cidade a partir do Coroado é uma favela no conceito do que se chama favela.
A cidade não tem saneamento básico.
A cidade é um esgoto só.
Graças à indústria da invasão patrocinada pelos caciques políticos que dividiu a cidade em dois.
Metade dessa invasão fica com os colegas do rei e famílias privilegiadas para construírem seus condomínios fechados.
E parte aos degredados da zona leste que sequer tem esgoto.
Aliás, o Parque 10 não tem esgoto também.
A bosta de todos os condomínios da área é lançada no Mindú.
E ainda reclamam do cheiro.
Ou quando elas batem no vidro do carro quando o Mindú transborda.
O grupo que está no poder a trinta anos afavelou a cidade a um ponto sem volta.
Manaus teria que ser derrubada e construída novamente.
A incompetência, a corrupção, o rouba e não faz, avacalhou a cidade.
Tem a contribuição da cultura cearense e nordestina que invadiu a cidade e é chegada a um puxadinho.
Mas por ausência do estado que isso acontece.
Manaus tem cara de puxadinho.
Basta sair da proteção dos condomínios mais ou menos pra ver.
Share:

terça-feira, 27 de março de 2012

Pancadaria de sapas e emos no Manauara Xopis


Cerca de trinta emos se juntaram para brigar contra uma galera de sapinhas dentro do Manauara Xopis.
O empurra e empurra começou depois que dois emos passaram se beijando e duas sapas não gostaram porque estavam atrapalhando o espaço de exibição sexual delas.
Como agora usar droga não chama mais a atenção de ninguém, a moda é mulher beijar mulher em xopis na cara de todo mundo para escandalizar.
As bibas também estão nessa.
Só que cada tribo tem o seu espaço demarcado dentro dos xopis.
Quando dois meninos emos começaram a se embolar na beijação e pegação no território das sapinhas, a pancadaria começou.
No empurra e empurra pra cá e puxa e encolhe pra lá, os emos aproveitaram e invadiram uma loja de maquiagem e roubaram vários estojos e saíram em desabalada carreira.
As sapinhas com inveja da esperteza da tribo dos emos saíram correndo atrás deles até alcançá-los no estacionamento, bateram neles e tomaram seus coturnos militares.
A pancadaria só acabou porque passou um carro de um playboy tocando Simple Plan bem alto e os emos começaram a se abraçar, se beijar e a chorar.
As sapas ficaram com pena e deixaram pra lá.
Mas avisaram
Na próxima que eles ficarem de pegação na área do xopis que é da pegação delas, vão apanhar mais.
Aparentemente está tudo normalizado no Manauara Xopis Center.
É só não estranhar aquelas mina se beijando e te encarando querendo saber se você vai entrar numas.
Se olhar de novo apanha, avisam.
Se você nunca olhar elas param de se beijar.
Elas só querem platéia.
Share:

segunda-feira, 26 de março de 2012

Veja o teaser do "Anta Na Chapa"


Teaser é mais uma palavra para iniciados que só eles entendem.
Toda moda Primavera Verão Riachuelo começa com uma palavra chave que um estilista, arquiteto, publicitário ou marqueteiro inventam.
Todo ano eles mudam o nome das coisas exatamente para fazer os “out”, os outros, ou seja, os trouxas, se matarem de curiosidade para entender o que eles estão dizendo.
Um dia desses fui comprar um criado-mudo e não consegui encontrar em loja alguma.
Até que entrei uma loja dessas chics que vendem moveis copiados de revista e perguntei se tinha criado-mudo.
A bibinha que me atendeu se encheu de compaixão e disse “senhor, acho que o senhor está procurando por mesa de apoio... né?”.
Criado-mudo virou mesa de apoio e nem saiu no diário oficial.
E olha que eu sou do ramo da publicidade.
Agora já sei.
Me pediram para fazer o marketing de um restaurante que vai vender carne de anta somente.
“Anta na Chapa”.
Vou fazer um ”teaser” primeiro para depois lançar a campanha de propaganda do restaurante.
Ouvi falar que teaser está na moda.
Ainda não sei mais ou menos o que é.
Só sei que é não sei o que não o que lá.
“Teaser” é, por exemplo, só a anta da placa aparecendo durante um bom tempo, piscando.
Faço isso uns dias até o povo ficar curioso querendo saber que porra de anta é essa.
Depois eu mostro a coitada da anta assada na chapa e digo onde tem para vender.
Acho que é isso.
Share:

domingo, 25 de março de 2012

Pequenas Empresas & Grandes Negócios: Loja de Destatuador está bombando


O negócio da tatuagem está dando grana a dar com pau.
Desde que virou moda, lojas e lojas de tatuadores se espalharam pelo Brasil.
Antes a tatuagem era vista como coisa de bandido, maloqueiro ou coisa do gênero.
Hoje qualquer patricinha ou mauricinho tem uma.
Hoje quem não tem tatuagem é que é parado pela policia.
As pessoas não chamam para as festas quem não tem tatuagem.
Desde que as bibas californianas lançaram a moda biba porrudona, anabolizada, toda tatuada e que fala “ai man” que a moda se espalhou.
Um dia desses eu estava em um bar ouvindo o Pereira tocar.
Tinha um cara enorme todo tatuado e careca na mesa ao lado.
Volta e meia o cara me encarava e eu já estava incomodado com aquilo.
Um misto de medo e invocação.
Até entre uma canção e outra o Pereira me cumprimentou dizendo “ai Jorginho” e eu respondi de volta aplaudindo.
Foi então que a biba falou “ainnnn...adoro o Pereira”.
Ai eu respirei aliviado.
Era só uma biba porrudona, careca e toda tatuada que estava me paquerando.
E eu morrendo de medo de levar porrada.
Lembrando disso pensei que um dia a tatuagem deixará de ser moda.
Abrir uma loja que tire tatuagem seria um grande negócio.
Legal seria montar uma do lado da outra.
Uma que faça e uma que tire tatuagem.
Ia bombar.
Share:

sexta-feira, 23 de março de 2012

Morre o Chico e vive o humor escroto


O Chico Anísio morreu e com ele foi-se a ultima safra de humoristas dos bons.
O que se chama humor hoje é bullying no atacado.
Achincalhar pessoas na frente dos outros com ofensas raciais, contra mulheres, gays, nordestinos, pobres e o escambau em voz alta dá dinheiro e virou show de humor.
Ainda ontem o idiota do Rafinha Bastos voltou a fazer piada de mau gosto com o filho da Wanessa Camargo, uma criança que acabou de nascer.
Esse tipo de canalhice que se intitula humor incentiva espancamento de gays na Paulista.
E mais idiota é quem paga para ser insultado e ainda chama isso de humor inteligente.
O Chico Anísio vai fazer falta.
Share:

Musas ambientalistas não comparecem ao Fórum de Sustentabilidade


Começou mais um fórum sobre meio ambiente sustentado por empresários preocupados com a vida no planeta, disque.
A onda verde arrebatou esses corações que a cada ano se reúnem para ver de onde vem mais verde.
O dólar verde ambientalista.
É tanta grana que o cartaz não cabe os dígitos.
Os caras só falam em 100 bilhões para REED, 900 bilhões para comprar peido de índio, até de vaca eles estão comprando.
A conversa é só de porrada.
Não tem liso não.
Por isso que esses workshops atraem tanta gente.
O bagulho é pesado.
A origem desse dinheiro que visa paralisar as economias emergentes dos cucarachos não tem origem definida.
Simplesmente aparece.
E os zóios crescem.
A patuleia que se diverte com qualquer palhaçada está sentindo a falta das musas que sempre enfeitam esses eventos.
Ano passado quem arrasou foi o Arnold Schwarzenegger e o James Cameron.
O ex-governador e agora senador verde de dólar, Eduardo Braga queria até bancar o segundo filme Avatar aqui no Amazonas.
Pediu até para fazer uma pontinha.
Em troca de uma pontinha, claro.
Esse ano o tapete vermelho das estrelas ambientalistas está fraquinho.
Acho que não está mais na moda primavera verão Riachuelo essa onda ambientalista.
Share:

quinta-feira, 22 de março de 2012

Caso Chevron prova que privatização tucana é puro roubo


A Chevron é a petroleira americana para quem o Jose Serra ia vender a Petrobras caso conseguisse se eleger presidente do Brasil, de acordo com e-mail interceptado pelo Wikileaks.
Apesar de Rede Globo e da grande mídia baseada em São Paulo, ele perdeu.
Todo mundo era sócio na falcatrua com a Chevron.
Agora a Chevron comete lambanças na bacia de Campos, vazamentos atrás de vazamentos.
Erros primários que levam até teoria conspiratória sobre a possibilidade de ser de proposito só para inviabilizar o Pré-Sal.
Já que o EUA e a Inglaterra já estão pesquisando petróleo a todo vapor na vizinhança do Atlântico Sul brasileiro.
Esses vazamentos podem dar pressão ambientalista criada em cativeiro contra a exploração do Pré-Sal.
O brasileiro, lógico.
Mas se não for isso, então a teoria tucana de que vendendo as estatais “incompetentes” para as multinacionais “competentes” é conversa fiada.
Porque a Chevron não chega nem aos pés da Petrobrás quando se trata de pesquisa petrolífera em alto mar.
Não dá nem para o começo como diz o caboco.
Então as privatizações tucanas é roubalheira pura e simples.
Oras.
E a CPI da Privataria Tucana?
Sai ou não sai?
Pegue o livro Privataria Tucana grátis no site http://www.canoamultimidia.net/
Share:

Panela véia é os caraleow!


Estava eu em um posto de gasolina desses que vende cachaça e tem carro com fuleiro dentro ouvindo musica fuleira bem alto.
O feio do carro estava ouvindo a clássica “Panela Velha”, imortalizada pelo rei do sertanejo Sergio Reis, que deus o tenha.
Nesse mormaço da tarde baré que dá um sono que se desse caboco esticava na calçada mesmo, eu fiquei prestando atenção na letra da musica.
“Não me interessa se ela é coroa, panela véia é que faz comida boa...” e por ai vai.
Quando chegou no “Tô de namoro com uma moça solteirona,
a bonitona quer ser a minha patroa, os
meus parentes já estão me criticando estão falando
que ela é muito coroa, ela é madura já
tem mais de trinta anos mas para mim o
que importa é a pessoa”.
Ahhhh... vai se foder Sergio Reis.
Trinta anos ser coroa?
Ser panela véia.
Se trinta é ser panela véia, o que nós, os cinquentão é?
Ahhhh... nemmm!
Panela véia é os caraleow.
Share:

A Síndrome do Noivo Corno da Amazônia


A Amazônia não é virgem.
Por baixo do pano do seu vestido verde, muitas mãos já acariciaram, bolinaram, penetraram suas entranhas, seus igarapés apertados, suas fontes sinuosas, seus nichos escondidos.
A Amazônia está mais para prostituta do Cabaré Chinelo e do Remulo’s do que para noiva de romântico parnasiano que jura que a noiva é virgem.
Só ele que acha.
A galera da rua sabe que não.
E ela silenciosa, o deixa pensar o que quiser.
Parnasianos adoram de iludir.
Possuem a Síndrome do Noivo Corno.
Os Ambientalistas Criados em Cativeiro também tem essa síndrome.
Pensam uma Amazônia casta e virgem enquanto mãos libidinosas penetram suas entranhas por baixo do vestido verde.
Há tempos que ela é vista como uma grande e suculenta prostituta ancorada no Puteiro Brasilis.
Os homens do império com suas armas poderosas adentram suas entranhas silenciosamente levando seu ouro.
Que antes era negro como o látex com o qual construíram o puteiro Cabaré Chinelo.
Hoje tem a sua biodiversidade que só é usufruída pelos laboratórios alemães com mão de obra escrava tirada dos INPAs da vida.
Escravos formados com nosso dinheiro que vão trabalhar para o pai branco do norte a preço de banana.
Tem o minério extraído silenciosamente para o Canadá, o maior exportador de nióbio do mundo sem ter nióbio já que 99% das jazidas estão em território indígena no Brasil.
A noiva é enrabada de manhã, de tarde e de noite.
Os brasileiros tem que usufruir das riquezas da Amazônia.
Os índios, os mamelucos, os brancos, os negros.
Racionalmente, tentando machucar o mínimo possível, para que ela se recupere.
Mas ela nunca mais será virgem.
A gente não pode ser o noivo com a Síndrome do Noivo Corno.
Se não a noiva vai fugir com outro.
Share:

terça-feira, 20 de março de 2012

O coverismo baré e a reversa xenofobia musical da Virada Cultural


Manaus tem baixa auto estima musical por conta desse isolamento geográfico todo e sofre da falta de identidade musical.
Talvez por conta desse isolamento todo.
Nós nem somos carimbós esvoaçantes coloridos como os paraenses, nem apertadinhos do pagode como os baianos muito menos periquita esfuziante do chiado do forró horizontal.
Somos um derivado de um boi estropiado e mutante que veio do Maranhão passou por Parintins.
Quando chegou em Manaus virou axé bumbá.
A cultura é resultado de mistura.
Só que musicalmente, Manaus é uma mistura tão misturada que não dá caldo grosso.
Tem uma tal de MPA (Musica Popular Amazonense) que está parado em um limbo largado da canção mineira, resquícios dos Elomas e Xangais misturados ao batuque nordestino com uns apitinhos indígenas sem noção vestido de branco.
Nada que seja nosso nem de longe.
Nosso é só um índio Ajuricaba que caiu no Rio negro acorrentado e não se sabe mais nada dele.
Nem que musica ele fazia.
Nós barezinhos não temos uma alma musical que possa ser ancestral, que possa ser chamada de nossa.
Tudo aqui cheira a estrangeiro.
Até o axé boi.
A xenofobia musical rola solta quando vai ter a Virada Cultural que usa dinheiro dos impostos barés para pagar preços altíssimos a bandas fuleiras de fora.
E quase nada para os músicos daqui.
Isso quando não são barrados nos palcos.
Embora nossos músicos adorem um coverzinho preguiçoso abdicando de compor, apesar de toda a tecnologia digital que favorece a produção de áudio e vídeo.
Poucos músicos metem a cara a tapa para compor algo que preste.
Que tenha autoria mesmo.
Que tenha identidade.
Mas tem alguns.
E esses músicos poucos que são autorais tem que ter espaço na Virada Cultural com o mesmo cachê das bandas fuleiras do Brasil.
Ou melhor.
Share:

Serra entre bolinhas de papel, de novo!


Esse Serra não descansa mesmo.
Na eleição para presidente do Brasil ele tentou vários golpes, o mais risível foi o da bolinha de papel.
Novamente o Serra está às voltas com esquema papelzinho.
Na eleição de 2006 para o cargo de prefeito de São Paulo mesmo tendo assinado um documento no qual se comprometia a cumprir todo o seu mandato, ele abdicou do cargo para concorrer ao governo paulista.
Ontem, em entrevista à Rádio Capital, o ex-governador, que tenta ser novamente candidato a prefeito, disse que o termo que rubricou "não era nada oficial", tratava-se apenas de "um papelzinho".
Bom.
Já que ele gosta tanto assim de tirar umas com estorinhas de papelzinho, o Lula está sarando do câncer.
E dizem as más línguas que ele vai entrar nessa campanha com dois papeizinhos embaixo do braço para o Serra.
Um é esse documento assinado entre o Serra e a Folha de São Paulo.
Que agora ele chama de “papelzinho”.
E que a Folha de São Paulo finge esquecer por ser cabo eleitoral dos tucanos paulistas.
Ela vive do dinheiro do governo de São Paulo.
O outro papelzinho que o Lula carrega embaixo do braço é o livro “Privataria Tucana” do jornalista Amaury Ribeiro Jr.
Livro que entrega com provas cabais, toda a trama das privatizações do governo FHC conduzidas pelo Jose Serra, então Ministro do Planejamento.
E ainda tem aquele outro papelzinho que o Serra mandou para a Chevron, interceptado pelo Wikileaks em que prometia vender a Petrobras para a empresa americana logo que fosse eleito presidente.
Apesar da Rede Globo, da Folha de São Paulo e da grande mídia, isso não aconteceu.
Agora recentemente a Chevron provocou o maior vazamento de petróleo da historia brasileira.
E fez um rombo irreversível na camada geológica do Pré-Sal que pode municiar correntes ambientalistas alienígenas contrarias a exploração do mesmo.
Talvez até de proposito, pois o EUA e a Inglaterra já estão vasculhando o Atlântico Sul atrás das vastas camadas de petróleo descobertas pela Petrobrás.
A Rede Globo bem que tentou jogar a culpa no governo brasileiro e na Petrobras, mas não colou.
E agora, o sócio deles nas falcatruas pode ser de novo prefeito de São Paulo.
E de novo candidato a presidente do Brasil.
E de novo tentar vender o que resta da pátria.
Todo mundo sabe o valor que ele dá a papel.
Share:

domingo, 18 de março de 2012

O Brasil pode desovar o próximo herdeiro do trono inglês


A apresentadora Luciana Gimenez não dá mole.
Ela encosta em pau de homem rico ou famoso arranca logo um bucho.
Ela é uma parideira de mão cheia se o cara tem grana.
O clássico golpe da barriga foi aprimorado por ela a um nível nunca dantes visto.
Ela conseguiu arrancar um filho do Mick Jagger, um cara metido a esperto, rockeiro, acostumado a pegar tietes pelo mundo todo.
Dançou na mão dela bonitinho.
Ela arrancou um filho de uma cara bonito, rico, famoso, desejado e de quebra uns bons milhões da conta bancária.
Depois pegou um trouxa dono da Rede TV! onde se transformou em apresentadora.
Uma mulher que mal sabe falar português.
Que a imprensa maldosa e fofoqueira chama de Lucianta Gimenez.
Espia isso.
Convidada para um leilão beneficente com a presença do príncipe Harry, que esteve no Brasil na semana passada, Luciana Gimenez não perdeu a oportunidade. Foi conhecer o rapaz de perto.
É muito provável que ela arranque um rebento desse encontro.
Ela é craque nisso.
Se o Mick Jagger que é malandro caiu no golpe da barriga da Lucianta, que de anta não tem nada, imagina um príncipe bobalhão mulherengo e cachaceiro.
Talvez o Brasil tenha um herdeiro ao trono inglês daqui a nove meses.
E o Brasil entra definitivamente para o primeiro world.
Rico, bonito, cheiroso e com um herdeiro da rainha na barriga.
Agora entendi porque o imbecil pau mandado do Diogo Mainardi chamava o Lula de anta.
Anta é inteligente... rapá!
Share:

O Praciano tem que aprender com o fracasso do Serafim


A população de Manaus já demonstrou que não quer mais esse grupo que há trinta anos está no controle politico do estado do Amazonas.
Eles estão se revezando no poder desde que o Boto Tucuxi voltou do exilio e disse no aeroporto Eduardo Gomes que ele e o grupo politico dele iam controlar o Amazonas, no mínimo 25 anos.
E já se passaram 30 anos.
Ele está no lucro, como diz o caboco.
Eles brigam entre si, mas é briga de gang.
É briga sobre partilha de roubo.
O Amazonino perdeu em várias eleições em Manaus.
Ganhou a ultima com os votos dos miseráveis e desinformados que votam em políticos saídos de programas policialescos de quinta categoria.
São os narco apresentadores de televisão que elegeram o Amazonino cometendo crime eleitoral.
Mas o juiz Ary Moutinho estava ai para resolver isso.
Ele é de casa.
O Serafim derrotou de goleada o Amazonino.
Mas traiu a esquerda e o grupo que se uniu para que ele fosse eleito só para transformar em politico a boneca barbie do filho dele.
O Serafim construiu mais obras de saneamento básico em Manaus do que todo esse grupo construiu em trinta anos.
Mas o Amazonino tem a Rádio CBN do lado dele, com um cara que se diz dono dela fazendo campanha politica ilegal durante o ano todo, de manha de tarde e de noite.
Dizem que a Radio é do Amazonino.
O Amazonino que já estava em casa de pijama voltou quando viu as lambanças do Serafim.
A principal foi desprezar o poder da informação.
Ou cala a boca dessas rádios através de denuncias no ministério publico federal ou abre uma ilegalmente também.
Se o Praciano for eleito com o poder de voto que tem, e pensar em saneamento básico para Manaus que está gritando por isso, ele vai ter que dar o troco nessas rádios.
Por policia em cima.
Se não é entrar em uma eleição e sair na outra.
Porque esse povo feio acredita em "imprensa".
Share:

A maldição do mercado Adolpho Lisboa


O mercado Adolpho Lisboa é uma construção do século dezenove tombada pelo patrimônio histórico.
O prédio foi construído no período áureo da borracha e inspirado no mercado público de Paris (Les Halles).
Faz parte da memoria da cidade.
Ele é o coração da cidade, como todo mercado é para toda cidade.
Ele foi trazido desmontado de Londres até Manaus em barco a vapor e depois montado novamente.
Isso em pleno século 19.
Estamos em 2012 e quem governa a cidade e o estado é um grupo que está no poder há trinta anos.
Em pleno 2012 o homem já foi à lua, inventou o celular, a internet e os barcos tradicionais que levavam os barezinhos para lá a para cá, agora são de alta velocidade e tem o nome de “a jato”.
Coisa fina.
Não dá nem para usar chapéu panamá em cima deles que o vento leva.
Mesmo com todo o avanço tecnológico, os papa sangue alheio que estão no poder dessa cidade não conseguem explicar porque a reforma do mercado Adolpho Lisboa, um mercado trazido quase que de barco a remo da Europa no século 19, não consegue ser concluída.
Já foram cinco anos com o mercado fechado e 11 milhões enfiados no toba da obra.
Agora decidiram por mais 8 milhões.
Uma verdadeira mixaria comparada aos bilhões gastos com ponte.
A gente começa a pensar que nem paulista trouxa que vota no Maluf.
"Rouba... mas faz, meu".
Aqui no Amazonas essa gente que está no poder há trinta anos, rouba e não faz.
Deve haver uma maldição indígena jogada sobre o "Mercadão".
Talvez uma velha índia metida com pajelança tenha mijado no terreno quando estava sendo tomado pelos invasores europeus.
Por isso que a obra não sai.
Como diz o caboco quando está sendo enrabado na marra e o cara pergunta se está doendo.
Ele responde:
“Está entrando bem, graças a deus!”
Share:

sexta-feira, 16 de março de 2012

O provincianismo da política baré espalha-se pela planície amazônica


Como diz o caboco, tudo que não presta desembesta.
A gente tem o péssimo hábito de aprender o que não presta quando a gente é criança.
De acordo com a vovó.
Nós barezinhos vivemos na idade média politica.
Uma tribo indígena alienígena se apossou do poder há uns trinta anos atrás e não larga o osso nem que o cachorro tussa.
Um tal de Boto Tucuxi avisou que ele e os colegas dele iam ficar no controle do Amazonas no mínimo 25 anos.
Já fazem trinta anos que ele falou isso.
Oh boca!
Para isso foi criada a ESAE (Escola Superior Amazonense dos Amigos do Erário) que jogou no mercado de trabalho um bando de desocupados que entra na vida publica como se estivessem na casa da mãe deles.
Essas pessoas são provincianas, coronéis, retrogradas e se comportam como novos ricos e cafonas.
Eles não sabem nem gastar o dinheiro que roubam.
São mal educados.
E essa falta de educação se espalha pela malha da sociedade.
Aqui ainda existe a figura cafonérrima do colunista social veadinho puxa saco, por exemplo, que lutam desesperadamente para dar um “verniz” nesses corruptos novos ricos.
Porem eles próprios são cafonas.
Alguns falam “os pessoal que foi pra recepção...” em programas de televisão de quinta categoria pagos com o dinheiro dos nossos impostos só pra promover politicamente essa gente cafona.
Essa cafonice pega que nem chiclete.
Que nem sernambi, como caboco amazonense chama o látex da borracha.
Ou a gente muda essa gente ou essa gente muda a gente.
E a gente vira tudo cafona.
Share:

quinta-feira, 15 de março de 2012

A Chevron vaza de novo e o Serra... quando vai vazar?


Novo vazamento nos poços da Chevron na Bacia de Campos leva a empresa a sair do Brasil.
Ela pediu penico alegando que a culpa desses vazamentos é a geologia do lugar.
Ou seja.
A culpa é nossa.
A Petrobrás tira petróleo há anos de lá e não se tem noticias dessas barbeiragens todas que a Chevron vive cometendo.
Isso é falta de conhecimento sim.
Não dá nem para pensar em teorias conspiratórias.
A Chevron é a empresa americana que o Jose Serra trocava e-mails negociando a venda da Petrobras caso fosse eleito presidente do Brasil, de acordo com vazamentos publicados pelo Wikileaks.
A Petrobras iria se chamar Petrobrax.
E nós perderíamos o pré sal para os americanos.
Hoje o Serra concorre novamente à prefeitura da maior cidade do país.
Cidade que ele foi prefeito há pouco tempo atrás e abandonou o cargo para tentar ser presidente.
São Paulo para ele é só um trampolim.
Isso se o Lula deixar.
O Lula tem duas bolinhas de papel para jogar na cabeça dele.
A primeira é o documento assinado por ele na redação da Folha de São Paulo que nunca renunciaria ao cargo para se candidatar a presidente.
O documento tem o aval da Folha.
Mas a Folha não vale porque é cabo eleitoral dos tucanos paulistas.
A segunda bolinha de papel que o Lula carrega é o livro Privataria Tucana do jornalista Amaury Ribeiro Jr.
Livro que mostra uma infindável coleção de provas sobre as falcatruas do Jose Serra durante as privatizações do governo FHC.
Livro esse que pode virar CPI, Já tem quase um milhão de assinaturas rodando na internet pedindo o processo.
Sampa não é só dos paulistas. Ela é nossa.
Sampa merece alguém que a ame como prefeito.
Não um cara que vende a mãe e entrega se for preciso.
Share:

Gemidos da mulher durante a transa é para controlar o esquema, disque


De acordo com cientistas britânicos que descobriram essa perola de pólvora.
Acho que cientista britânico é um bicho esquisito.
Tem tanta coisa para estudar, fica estudando o obvio.
E gasta fortunas nisso.
Só para descobrir que mulher geme para ver o cabra gemer.
Depois não querem que a gente tire sarro de inglês.
Que grande descoberta da humanidade essa, viu!
Tem mulher que vai ficar totalmente passada quando souber disso.
Que ela geme para adestrar o trouxa.
Todo homem com um pingo de juízo sabe que a mulher é quem manda na cama.
Até quando ela paga boquete, quem está submisso é o homem.
Mulher controla até quando ela está ajoelhada mamando na mamadeira.
Esses cientistas bem que podiam gastar dinheiro com coisa mais importante.
Afff!
Share:

Índio gosta de dinheiro e a pólvora existe


Várias “tribos” brasileiras estão vendendo crédito de carbono para empresas estrangeiras criadas só para isso.
Um tal de REED.
Uma delicia.
A questão indígena no Brasil é motivo para invasão de soberania desde que Cabral avistou umas morenas peladas na praia de Porto Seguro.
A Casa da Mãe Joana chamada Brasil piora quando a questão é sobre índios.
Todo mundo tem pena de índio quando se trata de índios que morrem tomando cachaça em cima de terra com minérios embaixo ou em áreas fronteiriças estratégicas.
Mas nem liga quando é índio dos cafundós.
Faz tempo que índio não quer só apito.
Quer grana, laptop, mulher loira de fala estranha e viajar de avião.
E tem todo o direito.
Quem atrapalha são os idiotas românticos que querem os índios morando em maloca e piolhentos para o resto da vida.
Para eles irem dar uma voltinha na taba de vez em quando para se passar de gente.
Os índios têm direito a aprender com outras culturas como sempre fizeram.
As culturas se misturam desde que o planeta existe.
Os índios têm direito a ter uma universidade que cuide da preservação do seu conhecimento tradicional.
Que preserve a sua língua.
Mas vender crédito de carbono a revelia da nação brasileira para empresas estrangeiras que só estão de olho no que tem embaixo da terra que esses índios bebem cachaça, é foda!
Alimentar a ideia de nação dentro de nação pode transformar o Brasil em uma Bósnia e criar clima de guerra civil.
E o pior de tudo são os Ambientalistas Criados em Cativeiro que estão pregando contra a ideia de nação.
Por isso que os liberais e neoliberais com o toba alheio desembarcaram no ambientalismo.
Por canta da ideia que nação não existe.
"Vamos vender essa porra e morar todo mundo em Paris".
Ou mandar esses mamelucos morar em Abrolhos.
Que maraa!
Share:

quarta-feira, 14 de março de 2012

Bolinha de papel pode acabar com a campanha do Serra


A campanha pela prefeitura de São Paulo promete esquentar com a melhora do Lula.
A voz dele está voltando ao normal.
Ai ele entra na campanha de vez.
O José Serra usa de todas as armas para se eleger.
O Serra em campanha é sinal de jogo sujo.
Quem sabe disso não pode dar mole.
Na campanha para presidente ele usou até uma bolinha de papel para se fazer de vitima com a ajuda do seu cabo eleitoral chefe, a Rede Globo.
Não colou e virou piada nacional.
Mas o Lula sabe quem é o Serra e há quem diga que ele vai entrar na campanha com duas bolinhas de papel ao invés de uma.
Uma delas é a assinatura do Serra em um papel em que ele diz que não renunciaria a prefeitura de São Paulo na eleição passada, e renunciou.
E olha que esse papel foi uma invenção da Folha de São Paulo, o maior marqueteiro dele no estado.
A outra bolinha de papel que o Lula vai andar por ai embaixo do braço é o livro Privataria Tucana do jornalista Amaury Ribeiro Jr.
Livro que mostra as provas das roubalheiras tucanas e principalmente do Serra durante as privatizações do governo FHC
Livro que pode acabar em CPI no congresso.
As bolinhas de papel perseguem o Serra.
E o Lula com duas bolinhas de papel na mão sem um pinto pra dar água, é um perigo.
O Lula terminal é pior ainda.
Coitado do Serra.
Share:

O humor escroto faz mais vitimas e ainda se acha


O humor escroto é a ofensa pura e simples.
Parecer ser inteligente ofendendo pessoas virou coisa chic com o advento do humor escroto.
Isso começa quando um nordestino, operário, pobre, analfabeto funcional, retirante, sem dedo, baixinho, sapo barbudo, cachaceiro, comunista, rouco e invocado chega a presidência da republica do Brasil.
A classe alta e media paulista que perdeu o controle da nação brasileira se sentiu ofendida.
E começou a ofender.
E inventaram o politicamente incorreto.
Então ficou liberado ofender, falar em voz alta os preconceitos contra pobres, negros, nordestinos, mulheres, gays, feios, gordos, ou qualquer coisa que seja diferente.
Por isso batem tanto em gays em São Paulo.
Só não pode falar de judeus, isso é crime.
Porque essa classe média alta paulista é formada por muitos judeus.
O resto pode.
Inventaram até uma modalidade de show stand up onde você assina um termo de responsabilidade dizendo que você não vai se ofender com as piadas racistas, contra gays, lésbicas e o escambau que vai ouvir no show.
Como sempre estão os mesmos idiotas de sempre.
Danilo Gentili, Fábio Rabin, Luiz França entre outros.
Alexandre Frota era o apresentador. Que perola.
Acabou em confusão a primeira edição do "Proibidão", show de stand-up no qual comediantes fazem piadas preconceituosas contra negros, gays, deficientes e mulheres.
Só “jênio”.
Esses caras “pseudo humoristas” ganham grana porque tem veado idiota, negro safado e mulher escrota que paga para ser ofendida por eles.
Essas pessoas pagam para sofrer bullying.
Essas pessoas merecem ser ofendidas.
Porque isso passa longe de ser humor.
Share:

terça-feira, 13 de março de 2012

Alma aprisionada na cadeia facebookiana


As drogas não matam mais.
A AIDS não mata ninguém.
Só o que anda matando é o tédio dessa geração Y calhorda e preguiçosa sentada na sua poltrona suja com seu traseiro gordo e ensebado se achando um lixo.
E quando você é um cinquentão que viu todos os seus heróis morrerem de overdose, menos você, e vive essa realidade facebokiana, parece muito com as viagens de ácido.
Onde as realidades convergem e se separam.
A prisão facebookiana é como todas as prisões.
Feias, ridículas e limitadas.
Como é toda a raça humana.
A liberdade não existe.
Ondas de chumbo podem ser como plumas quando se consegue flutuar por sobre os muros das cadeias e algemas.
Plantar tomate cereja e esperar que eles cresçam e virem salada bonita.
O que se pode esperar do tempo é que ele passe.
Ao menos ele.
Share:

Indicação de Braga em troca da candidatura do Praciano


Isso bem que poderia ser realidade.
Sonhei que a Dilma chamou o Eduardo Braga para ser seu líder no senado para cooptar os votos dos senadores descontentes do qual o senador amazonense faz parte, numas de controlar a rebelião que se avizinhava nas hostes do PMDB.
Porem o motivo principal era dar um premio maior ao Braga em troca da prefeitura de Manaus que teria como forte candidato o deputado federal Francisco Praciano do PT do Amazonas, com o apoio do governo do estado e de Brasilia.
Com a promessa que o Braga voltaria dois anos depois para o governo do estado novamente, apoiado pelo Planalto.
Assim todo mundo sairia ganhando.
Manaus teria finalmente um prefeito que não fosse da turma que controla o estado há quase trinta anos.
O povo amazonense ganharia com isso por se ver livre dos sanguessugas que jogaram o Amazonas na idade media politica.
O Eduardo Braga, apesar de filho legitimo desse clã horroroso que há anos esfola esse estado, estaria com sua reconhecida vaidade e sede de poder devidamente saciada.
Ser líder do governo chama muita atenção da Rede Globo, da revistinha Veja e da Folha de São Paulo..
E pedras, muitas pedras sobre o telhado.
E nós barezinhos dormíramos em paz tendo finalmente um prefeito honesto ouvindo o Jornal Nacional tentar destruir a reputação do Dudu da Ponte do Bilhão.
Que maravilha de sonho.
Ou não?
Share:

segunda-feira, 12 de março de 2012

Eduardo Braga novo líder do governo. Agora aparece o bilhão da ponte


A Rede Globo e a chamada grande mídia brasileira baseada em São Paulo é a favor que os paulistas governem o Brasil.
Os tucanos paulistas, claro.
Portanto qualquer outro que ocupe o cargo de Presidente do Brasil que não seja essa galerinha sócia da Rede Globo, vira vitima deles.
Do Bom Dia Brasil passando pelo Jornal Nacional até o Jornal da Globo no fim do dia da urubologia jornalística global, só dá ataque ao governo.
O Eduardo Braga foi chamado pela presidente Dilma para substituir o Romero Jucá na liderança do governo no senado.
Ele vai topar, claro.
Líder do governo aparece para xuxu nos jornais da Rede Globo.
Dá maior IBOPE.
A reconhecida vaidade do Eduardo Braga, aquele da Ponte do Bilhão, não vai deixar essa chance de aparecer nacionalmente nem com nojo.
Ai é que mora o perigo.
A Rede Globo vai começar a cascavilhar a vida pregressa dele.
Para atingir a Dilma, claro.
Ai vai por arapongas em tudo que é canto.
Vai ter “amigos” do Dudu entregando o ouro em troca de uma boa grana.
Pode ser que apareça nessa de cascavilhar, como é que a Ponte Rio Negro foi custar quase o dobro do valor no final da obra.
Em uma coisa a Rede Globo é boa.
Em acabar com a reputação de alguém.
Com ou sem prova.
Nesse caso, sinceramente falando, a Rede Globo faria um bom serviço a nação barezinha.
Share:

Catadora de papel entra na USP da direita tucana


A Folha de São Paulo é a menina de recados dos tucanos paulistas.
Vive às custas do dinheiro de quem governa São Paulo há quase vinte anos.
A revistinha Veja, sócia do Carlinhos Cachoeira, “monta” o escândalo, dá uma manchete garrafal sem mostrar prova alguma, em seguida sai na Folha de São Paulo e no jornal O Globo e de noite no Jornal Nacional.
No dia seguinte, o Demostenes Torres, também sócio, amigo e compadre do mafioso Carlinhos Cachoeira, indignado no senado, pede uma CPI contra qualquer coisa.
Pronto, está plantada mais uma crise para desestabilizar o governo trabalhista que a grande mídia junto com os tucanos paulistas fazem oposição.
Esse esquema de usar mafiosos, corrupção policial, escuta clandestina para criar fatos e factoides, está dando cadeia na Inglaterra.
O conglomerado que o Rupert Murduch controla pelo mundo afora é muito maior que a família Marinho, a família Civita, a família Frias juntas e mesmo assim está perigando ser preso por usar esses esquemas criminosos que essas famílias usam aqui no Brasil.
Mas, na Inglaterra e em todo chamado primeiro mundo tem leis para a imprensa.
Aqui não.
Aqui a imprensa é contra leis que regulamentem a imprensa.
Chamam de censura.
A catadora de papel que entrou na USP vai encontrar uma USP menos democrática.
Uma USP tomada por uma direita que proíbe, que expulsa, que prende e espanca alunos.
E a Folha de São Paulo acha que noticiando que uma catadora de papel entrou na USP vai mudar essa imagem horrorosa que São Paulo está deixando para o resto do país.
De antro da direita suja.
Share:

domingo, 11 de março de 2012

O país do futebol não é mais o dos vira latas


Complexo de Vira Latas era como o Nelson Rodrigues catalogava o sentimento de alguns brasileiros que insistem em diminuir o Brasil.
Tudo o que presta é o que vem de fora não sei o que e não sei o que lá.
O Complexo de Vira Latas é o oposto do ufanismo de alguns que dizem que tudo aqui é maior.
Que nem paraense e parintinense que tem mania de dizer que tudo deles é maior que o dos outros, disque.
O futebol brasileiro faz tempo que não é o melhor do mundo.
Quem destrói o futebol brasileiro é o esquema criminoso que leva nossos atletas no cueiro ainda para jogar nos clubes europeus.
Esse esquema é da Rede Globo, do Cala a Boca Galvão, Ricardo Teixeira, patrocinadores de futebol, empresários bandidos e cartolas safados.
Tanto que o Ronaldinho, o Fenomenoooooooooooooooooooooo, do esquema do Cala a Boca Galvão, virou garoto de recados da CBF e do Ricardo Teixeira.
Nem um vale o que o gato enterra.
Apesar dos nossos campeonatos ter virado campeonato de várzea, onde o craque é um tal de Wagner Love que era reserva no Arzebaijão Futebol de Fragatas e Polo no Gelo e um tal de Adriano que volta e meia tem que buscar ele na Vila Cruzeiro com a policia e tudo, a Copa do Mundo vai ser no Brasil.
Mesmo com esses bandidos que infestam o futebol, a gente bate uma bolinha boa.
E o Brasil vai bem das pernas financeiramente.
O tal de Lula, o analfabeto funcional e a Dilma, a guerrilheira, conseguiram transformar o Brasil em uma potencia financeira que um dia vai voltar a ter um futebol à altura que merece.
A Rede Globo e a chamada grande mídia que fazem oposição ao governo, também fazem oposição ao Brasil às vezes.
A lei do quanto pior melhor, para ver se ganha a próxima eleição para presidente com os tucanos paulistas voltando a governar o Brasil.
Estão todos torcendo que tudo dê errado na Copa do Mundo.
E tem brasileiro leso que torce por isso.
Torce contra o Brasil.
Tudo um bando de vira latas do Nelson Rodrigues.
Share:

quinta-feira, 8 de março de 2012

Quem diria que uma costela iria tão longe


A mulher vem da costela do Adão, diz a bíblia, disque.
O Brasil tem uma costela como presidente.
Eu não caio nessa.
A mulher está mais para uma espinha atravessada na garganta de quem não sabe usufruir do fruto do pecado.
Eu amo a minha mulher e finjo não ouvir tudo que ela tem para dizer.
Mas eu ouço.
E ela está sempre certa.
Mesmo no silencio da minha alma eu sei que a luz vem dela.
Eu sigo os seus passos e vou indo bem, graças a deus.
Mas ela não pode sonhar que eu penso assim.
Se não ela monta de vez no quadrupede que eu sou para ela.
Hoje é o Dia Internacional da Mulher e eu espero continuar amando a minha para sempre.
Share:

quarta-feira, 7 de março de 2012

O corpo da mulher é um campo de batalha internacional


O direito de decidir o que fazer com o seu próprio corpo ainda não é da mulher.
Esse direito ainda não pertence a ela.
O aborto ainda é crime enquanto deveria ser questão de saúde publica.
Amanhã é o Dia Internacional da Mulher sem corpo.
Um delegado ou um juiz de quinta categoria manda mais no corpo dela que ela própria.
Fora as religiões que se metem nessa discussão com um puritanismo medieval e a alegria do dinheiro do otário do devoto.
E tem mulher que acha o aborto crime.
Ninguém é a favor do aborto.
Ninguém em sã consciência é.
Mas é um direito da mulher e só dela levar uma gravidez adiante ou não.
E cabe ao estado proteger e dar meios para que essa mulher não seja mais um numero na triste estatística de mulheres que morrem fazendo aborto clandestino.
Viva as mulheres livres.
Share:

O ambientalismo é o ultimo front dos neoliberais sem pátria


Vai acontecer mais um workshop sem noção sobre ambientalismo.
O Terceiro Fórum Mundial de Sustentabilidade, patrocinado por “empresários” preocupados com o meio ambiente do “dinheiro verde” que dá mais que chuchu na serra e ninguém sabe de onde vem.
O senador “verde de dólar” desde curumim Eduardo Braga está na parada, claro.
Se fotografar o evento vai dar para ver um bando de neoliberais sem pátria que perderam o bonde da história e o discurso, depois da queda do muro capitalista chamado Wall Street.
Eles ficaram sem bandeira e sem causa para defender e o grande capital sem pátria e o deus Walter Mercado ficaram só entregues a Miriam Leitão, ao seu cabelo e a Rede Globo.
Como essas pessoas não são afeitas a ismos, como patriotismo, nacionalismo ou qualquer coisa que não dê grana, eles desembarcaram todos na onda boa da grana milionária do ambientalismo fácil
A prova é que os empresários "muito preocupados" com sustentabilidade da Amazônia, o que quer por cargas d'águas isso queira dizer, convidaram o "brilhante" Príncipe dos Sociólogos Fernando Henrique Cardoso para abrilhantar o Terceiro Fórum de Sustentabilidade.
Ele, que enquanto presidente não criou nenhuma APA sequer.
As mil e poucas que existem no solo brasileiro foram criadas pelo Lula.
Como não podia deixar de ser, o fórum conta com a chancela do "ambientalista" desde curumim reverendíssimo Senador Eduardo Braga, aquele da Ponte do Bilhão que ainda não criou a guarda florestal.
Tem mais o Virgilio Viana, o “Mercador das Selvas”, aquele da fabrica de moveis milionária de São Paulo que só faz moveis com mogno da Amazônia, claro.
O evento vai ter ainda para efeitos de azeitona da empada a presença dos arrivistas locais e sua claque formada pelos Ambientalistas Criados em Cativeiro
Ainda querem que se leve a sério essa marmota.
Share:

domingo, 4 de março de 2012

A provocação "... E o rap?" é contra a genuflexão


Ela está em toda a cidade.
Não há um bairro de Manaus que não tenha essa pichação em algum muro ou parede.
Ela é uma incógnita para mim.
Não tenho a menor ideia do que ela quer dizer, do que ela significa ou representa.
Só sei do efeito que ela me causa.
De provocação.
Ela mexe com meu anarquismo romântico dormido.
Minha alma insubmissa que ficou lá atrás aparentemente, mas que só dorme dentro de mim.
Esperando feito um cão no escuro que o dono a chame.
Essa frase acorda essas coisas boas da alma que a alma tem.
A insubmissão é uma delas.
Almas insubmissas são as melhores.
“Nunca se submeta”, essa frase eu ouvi em uma canção ou li em algum livro e compreendi, adotei e hoje ela mora escondida debaixo do tapete da minha alma.
Porque eu entendi o que ela quis dizer.
E nem a ela eu me submeti porque até esqueci onde li ou ouvi.
Mas ela está viva.
Agora vem um pichador desconhecido com não sei que intenção despertar essa “coisa”.
Acho que essa pichação tem a ver com a falta de espaço que o rap tem como gênero musical nos meios de comunicação.
O rap e outros, como a bossa nova do Tom Jobim.
As rádios, casas de show, o mercado do disco só tocam o que dá lucro e pra isso eles inventam o que dá lucro.
Eles escolhem a porcaria da moda que dá mais lucro.
Eles até produzem porcarias da moda.
Ficam se sucedendo ano após ano o pagodinho safado do neguinho rebolante, do sertanejo cuzão calça atochada no rego, do forró mulher vagaba é melhor,o rock emo baitola esquema Restart e por ai vai.
E nossos ouvidos virando penico ano após ano.
E o pichador só quer “... E o rap?”.
Chato pra caralho.
Mas bossa nova demais também é chata pra caralho.
Mas tem que tocar tudo.
Porra.
Share:

sexta-feira, 2 de março de 2012

Perfis de pessoas mortas virou mural frequentado por góticos e emos


Perfis de pessoas mortas virou mural frequentado por góticos e emos no Facebook.
Por causa desse lance de proibir tudo, os góticos e os emos não conseguem se reunir para fazer saraus poéticos em frente aos cemitérios e igrejas.
Basta reunir dois que chega a policia mandando andar.
Dizem os góticos que essa onda começou depois que os emos aderiram a moda de frequentar os cemitérios e a igrejas também.
Só que ao invés de falar poesia, beber e fumar unzinho, eles ficam se pegando, se beijando, homem com homem e mulher com mulher, e depois caem no choro.
A polícia passa e acha aquilo estranho e acaba com a rodinha.
Então eles apelaram para frequentar o mural de pessoas mortas no Facebook.
Tem até um grupo que fica procurando os murais deixados por pessoas falecidas recentemente.
Parece que dá mais barato assim sei lá.
Se você souber de uma conta de Facebook que o dono faleceu recentemente avise.
Eles estão até pagando por isso.
Valeu.
Share:

Serra chama o Brasil de EUA e o Lula que é analfabeto


O José Serra é o eterno candidato da elite paulista e, portanto, da Rede Globo e da grande mídia baseada em São Paulo.
No programa do reacionário-chefe Boris Casoy, colega da turminha, o Serra manda essa bala maravilhosa.
- Eles (a Europa) criaram uma moeda única na Europa sem que houvesse um país. O Brasil se chama Estados Unidos do Brasil. Os Estados Unidos se chamam Estados Unidos da América – respondia Serra, quando foi imediatamente corrigido por Boris Casoy:
- Não, o Brasil não se chama Estados Unidos do Brasil.
- Mudou? – questionou Serra.
- Se chama República Federativa do Brasil – completou o apresentador.
O tucano, então, emendou:
- O que é parecido. É federação.
Ahhhhhh se é o analfabeto funcional do Lula.
Ia dar bonde de fela da puta sacaneando na internet.
A grande imprensa ia cair de pau.
O Serra sempre foi acusado de ser representante dos interesses americanos e do grande capital aqui no Brasil.
A época da eleição para presidente, o site Wikileaks noticiou um telegrama furtado da Embaixada Americana em que o Jose Serra negociava com a Chevron, empresa de petróleo americana (Aquela que causou um mega vazamento aqui na costa brasileira) a venda da Petrobras para eles.
Já tinha até nome.
Iria se chamar Petrobrax.
Portanto, na cabeça do fela da puta desse entreguista de merda aqui é sim o Estados Unidos do Brasil.
Aliás, ele acha que do México pra baixo tudo é canela.
Também, ele aprendeu isso na cartilha do Príncipe dos Sociólogos e ideólogo grão mestre tucano FHC, que escreve no seu livro Teoria de Dependência “quando o estupro é inevitável é melhor relaxar e gozar”.
Nessa teoria os EUA entram com a pomba e os brasileiros com o toba, claro.
Não foi lapso, foi manifestação de desejo.
Share:

Policia me para por eu não ter tatuagem


Estava eu caminhado no poluído Passeio do Mindú, mais um paraíso artificial manauara que dá a falsa sensação de modernidade e segurança, quando uma viatura da policia estaciona ao meu lado e me manda parar com o habitual “Vai parando ai, encosta no carro, mãos pra cima, afasta as pernas e documentos”.
Fiquei sem entender nada e falei “Qual é seu guarda?... Que papo careta”.
O policial me mandou calar a boca e me deu uma geral de meter o dedo entre os bagos e subir pelo rego.
Como eu não sou trouxa de andar nem armado nem com droga no bolso, ele me liberou.
Entraram no carro e antes de arrancarem eu perguntei:
“Porque vocês me pararam?... Foi por causa do tapa olho?”
O meganha da porta respondeu:
“Não... que tapa olho que nada otário, é porque você é o único aqui do pedaço que não tem tatuagem”.
Ah bom.
Sinal dos tempos.
Quem diria que tatuagem já foi coisa de maloqueiro e de marginal.
Tenho que providenciar uma.
Share:

quinta-feira, 1 de março de 2012

Craque chinês vai jogar na seleção


O Ricardo Teixeira se reelegeu por mais meio século a frente da CBF, portanto ele, a Rede Globo, o Galvão Bueno e os cartolas do futebol vão continuar mamando nas tetas do esquálido futebol brasileiro.
Vamos continuar sendo curral de engorda para o rico futebol europeu.
Enquanto isso as torcidas brigam no Facebook por causa de jogos de várzea desses nossos campeonatos onde o craque é o Wagner Love que foi reserva do Zrerbazaquistão da Capadocia há uns 10 anos atrás.
O torcedor brasileiro virou pinto no lixo.
Se acostumou com merda.
Enquanto isso o Corinthians contratou para tentar salvar o que resta da gordura do "craque" Adriano que vive atrás de craque na Vila Cruzeiro.
Contratou um jogador chinês chamado Chen Zhizhao.
O cara está cheio de marra.
Além de tomar o lugar no time do Corinthians dos pernas de pau que sobraram da peneira que foi jogar na Europa, agora pensa em se naturalizar para jogar em 2014 pela seleção brasileira.
Ainda bem que liberaram bebida nos estádios durante a copa.
Só tomando umas muitas para criar coragem para gritar “vai Chenzinho...vai Chenzinho”.
E enquanto isso não chega, o jeito é ficar rindo das brigas das torcidas pinto no lixo do Facebook.
Share:
Tecnologia do Blogger.

OCUPE REDE GLOBO

Loading...

Pesquisar este blog

Veja meu site profissional

Veja meu site profissional
Jorge Laborda é um cara metido a designer, escritor e a ser humano.

Blogs que vale conferir

Arquivo do blog

Definition List

Contact

Support