Um blog de crônicas da Barelândia para o mundo!

BTemplates.com

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O dilema do bairrismo carioca versus paulista no brasileirão


Se o eterno bairrismo entre cariocas e paulistas fosse maior que a rivalidade entre os clubes locais do Rio e São Paulo seria fácil prever que o Palmeiras e o Flamengo entregariam o jogo respectivamente só para ter a taça de campeão brasileiro no seu estado natal.
Porem, como a rivalidade entre Vasco e Flamengo e entre Corinthians e Palmeiras é maior que o bairrismo entre Rio e São Paulo, ninguém em sã consciência acredita que alguém vá derramar o leite na hora do jogo.
O que vai rolar é que a rivalidade local vai incendiar os dois jogos.
Vai voar pena de urubu e de águia pra tudo que é lado porque o bacalhau e o porco vão querer melar legal a festa do inimigo.
Se o Corinthians perder o campeonato por causa da derrota para o Palmeiras, melhor não passar perto do Metrô depois do jogo.
E se você mora no Rio e o Flamengo der um cacete no Vasco e dar mais um título de vice para os cruzmaltinos, melhor ficar em casa porque o couro vai comer lá pelas bandas da casa da Noca.
Domingo não vai ser um bom dia para passear com a família em todo o Brasil.
O futebol brasileiro não anda tão brilhante assim, mas as torcidas andam vendo muito UFC e com a presença das mulheres aumentando o cordão dos bebuns fanáticos, melhor fazer um programa light em casa mesmo no domingão do faustão.
Domingo vai ter as duas febres nacionais, futebol e UFC tudo junto e misturado.
Share:

terça-feira, 29 de novembro de 2011

O bullying do natal chegou de vez


O natal chegou de vez.
A cidade, os prédios, as casas e as pessoas já estão com o toba piscando dizendo “dinheiro, dinheiro, dinheiro”.
Os shoppings felizes esperando os trouxas e seus dilemas de pobre.
Comprar presente para cobra, papagaio e elefante dói no bolso e na alma.
Tem sempre alguém que vai ficar de fora.
Ai vem à culpa de pobre.
Todo natal tem o “presente da moda” empurrado pela mídia agressiva que invade os lares através da maldita televisão.
Isso é todo um grande jogo sujo combinado para ferrar os trouxas.
Laptop, tablets e televisão Led Full HD com raitiouflaiti embutido até o tôco no nosso.
No meu nem tanto porque eu decretei falência faz tempo.
Todo mundo morre de vergonha de decretar pobreza e falência.
E os comerciais de televisão mostrando um bando de famílias famigeradas comprando felizes e só a sua vai ficar de fora da farra do boi que é o natal.
Que triste né parente?!
Ou não?!
O lance é cair na gandaia, gastar mesmo.
Pegar o cartão de credito e mandar ver.
Tou nem ai pra esse tal de SERASA de cú é rôla!
Afinal a economia cresce quando o dinheiro circula, principalmente o dinheiro dos trouxas aqui embaixo da pirâmide.
Porque o do pessoal lá de cima e dos banqueiros está guardadinho da silva.
O natal é um bullying perverso.
Só quem ri é o Papai Noel e os shoppings.
Mas enfim, é um ano a mais emplacado e que ganhe o Flamengo e o Palmeiras para que o campeonato termine com o campeão levando uma surra do maior rival.
Amém.
Share:

domingo, 27 de novembro de 2011

Ritual da Tucandeira, piercing e tatuagem não “iniciam” ninguém


A dor e a morte exercem um fascínio muito grande nas pessoas.
Principalmente a dor alheia.
A dor no fundo esconde uma pontinha de prazer.
Diz o Cazuza em um dos seus poemas existencialistas e experimentais.
Só não se sabe quem estava causando a dor em quem.
Geralmente tem mais prazer à pessoa que causa a dor no outro.
Isso é questão sado masoquista.
E como questão é resultado de opinião, cada um tem a sua.
Enquanto no reino animal dos caras pálidas é dia de decisão de campeonato brasileiro, alguns índios de uma região remota da Amazônia reavivam um ritual da sua tradição.
Os índios da etnia sateré-mawé fazem o estranho Ritual da Tucandeira, um ritual de iniciação machista, que prova que o indiozinho adolescente é macho pra chuchu pelo fato de ele conseguir ficar por algum tempo com a mão dentro de uma luva feita de palha, levando picadas de uma espécie de formiga chamada tucandeira.
Enquanto os outros morrem de rir.
É uma espécie de bullying feito pelos índios mais velhos.
Os índios sateré-mawé têm mais de duzentos tipos de rituais maravilhosos, mas esse que envolve sadismo é o que mais faz sucesso para o turista cara pálida.
Que nem filme vagabundo que cheira a sangue como o Tropa de Elite que faz mais sucesso que o desenho animado maravilhoso chamado Rio. Os dois falando do Rio de Janeiro.
O povo gosta é de sangue.
Percing e tatuagem também é encarado como atitude de “iniciação” a alguma coisa.
Ninguém sabe “iniciação” de que, mas é.
Patricinhas, doidonas descoladas, lésbicas, bancarias, donas de casa, evangélicas e prostitutas, todas estão tatuadas hoje em dia.
Tatuagem deve ser só para sentir mais dor do que a vida já causa.
Também, uma civilização que adora um cara pregado em uma cruz todo ensangüentado deve cultuar a dor mesmo.
Penso eu, um taurino hedonista.
Share:

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O entreguismo "ambientalista" é ausência de noção ou de nação?


Os cucarachos neo convertidos ao neo colonialismo ambientalista, comumente chamados de Ambientalistas Criados em Cativeiro aderiram de vez à filosofia neoliberal com o toba alheio.
Dizem que ser patriota, nacionalista, ser brasileiro é coisa de gentinha antiquada, sem noção.
Pensar em “progresso” é cafona.
Principalmente quando a pessoa está no ar refrigerado do seu ar condicionado.
Para que hidrelétrica né?
Esses novos ricos estão querendo demais.
Esse tal Bolsa Família tirou eles da miséria agora ainda querem geladeira, televisão full HD com raitiuflaiti, forno microondas, laptop e outras bobagens que eles bem que podiam ficar sem.
Isso tudo consome energia elétrica e vão acabar tendo que construir hidrelétricas que vai acabar com nossos zoológicos na Amazônia e nossos amigos europeus vão falar mal da gente.
E ainda querem ter carro para consumir combustível fóssil e ter que explorar esse tal de pré sal que todo mundo em Nova York é contra.
Quando eu for comprar muamba lá todas as amigas vão me criticar.
Assim pensam os cucarachos sem noção e sem nação.
Pensar em ser brasileiro e gostar é cafona.
Esse lance de fronteira não tá com nada.
Vamos internacionalizar a Amazônia, assim nossos amigos gringos ficam felizes com a gente.
Estrada, ferrovia, hidrelétrica, usina nuclear, portos, aeroportos, etc.
Não sei para que esses silvícolas querem isso?
Dizem o pessoal do “Gota D”Água” do alto do PROJAC e de Ipanema lendo textos redigidos por algum felá da puta.
São contra Belo Monte com argumentos ridículos e mentirosos acreditando na burrice do publico.
Juntos nessa estão a Rede Globo que tenta eleger seu candidato a presidência da republica e perde, ONGs internacionais bancadas com dinheiro que não se sabe a origem, atores globais que só conhecem Rio, São Paulo e querem se meter a discutir o Brasil.
Essas pessoas não estão nem ai para a necessidade de energia que o nordeste e o norte brasileiro vão precisar agora que estão saindo da linha da miséria e comprando eletrodomésticos.
E mais felá da puta é brasileiro quem vem com esse papo de quer ser brasileiro é brega.
E que “progresso” é ruim.
Tudo traíra.
Share:

terça-feira, 22 de novembro de 2011

O estranho silencio “ambientalista” sobre a Chevron


A questão ambiental é uma bandeira de todos.
Não de um grupelho só.
Nos últimos tempos a luta “ambientalista” tem engrossado seus exércitos com todo tipo de gente, desde velhos arrivistas oportunistas de plantão que só querem lucrar algum com as oportunidades de negócios trambiqueiros, opositores urubus do governo que apostam na paralisação de obras para poder ter uma chance de ganhar eleição mesmo que com isso o Brasil se ferre e os eternos ambientalistas criados em cativeiro que servem de bucha de canhão do neo-colonialismo ambientalista.
Nenhum desses que fazem tanto barulho contra Belo Monte nas redes sociais abriram o bico até agora para falar da sacanagem que a Chevron fez nos mares brasileiros.
A Chevron queria comprar a Petrobras.
O Wikileaks vazou telegramas e emails em que o José Serra estava negociando a venda da Petrobras para a Chevron caso se elegesse presidente do Brasil.
A Petrobras se chamaria Petrobrax.
A Rede Globo apóia os candidatos tucanos paulistas em todas as eleições.
Eles são sócios em tudo.
Inclusive nesse negocio da venda da Petrobras para a Chevron.
A Rede Globo tentou esconder o que pode esse desastre ecológico.
Agora virou manchete.
Já era!
Perdeu mané!
Só resta arrumar um jeito de por a culpa na Petrobras.
E depois contar com o exercito de “ambientalistas” nas redes sociais para espalhar a campanha.
Espia só.
Share:

A promiscuidade escatológica facebookiana


O Facebook causa uma proximidade entre pessoas que nunca sonharam se encontrar no mundo real.
Pessoas de mundos completamente paralelos, sem convergência, sem encruzilhada, sem esquina e muito menos um boteco comum onde duas almas podem se esbarrar por um décimo de segundo perdido qualquer no espaço e tempo.
Embora a lei da física e das probabilidades diga que sim, isso é possível.
Mas seria como ganhar na megasena.
Hoje abri meu facebook como um viciado qualquer e dei de cara com uma foto “maravilhosa”.
Uma foto de uma mulher de quatro, toda cagada abrindo a calcinha para ser fotografada mostrando a merda saindo do toba.
Isso para começar o dia antes do café da manhã.
Dizem que merda é dinheiro. Tomara.
Ontem antes de dormir vi a foto de uma mucura atravessada por uma barra de ferro toda queimada.
O cara que postou disse que ela se fodeu porque invadiu o churrasco dele atrás das picanhas que estavam na brasa.
Mucuras são marsupiais, vegetarianos e não oferecem perigo para picanhas ou playboys que curtem churrasco.
E o cara expôs à pobre mucura como um troféu de guerra.
Assim como a menina expôs a foto de uma mulher cagando como insulto a alguém.
O Facebook tem disso.
A raça humana é assim.
Ela caga e mata animais indefesos por puro prazer.
E o Facebook é só um espelho do que somos.
Só isso.
Share:

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

E o natal chegou com seu saco de maldades


O natal é paradoxal.
Ou ama-se ou odeia-se.
Ninguém fica indiferente ao natal.
Também, com essas luzinhas, os enfeites bregas retro tomando conta da cidade, as pessoas infestando os shoppings, ninguém ficaria imune ao natal.
Essa época do ano em que não se sabe se o filho passou na escola que custa o olho da cara.
Se o dinheiro vai dar para pagar as contas, comprar presentes para filhos, sogra, cunhado, periquito e papagaio e viajar no fim do ano.
Tem o peru de natal, o bacalhau e esses dilemas da classe média sofrida.
E a nova classe média que vai passar pela primeira vez por isso?
Coitada da nova classe média meu deus.
Que não sabe a marca boa do bacalhau, do peru, da uva-passa, etc.
O lance é relaxar, pois na vida tudo passa.
O natal passa, o ano novo passa, até uva passa.
Enfim, o natal chegou com seu saco de maldades.
Share:

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A Rede Globo "vazou" o petróleo no Rio


Está acontecendo nesse exato momento um vazamento de petróleo na Bacia de Campos no Rio de Janeiro que já está sendo chamado de o maior acidente ecológico do tipo no Brasil.
Já é o maior vazamento de petróleo jogado no oceano brasileiro.
O vazamento é 23 vezes maior do que o divulgado pela empresa responsável. Ainda não se sabe a extensão dele.
E continua a vazar.
A empresa responsável por esse vazamento é a Chevron.
O geólogo americano John Amos, da ONG SkyTruth estima com base em imagens captadas pela Nasa, um vazamento de 3.738 barris por dia entre 9 e 12 de novembro. Isso daria um total de, pelo menos, 15 mil barris despejados no oceano.
A Chevron usa a plataforma da mesma empresa que causou o maior desastre ambiental da História, no Golfo do México.
A Chevron é a empresa americana que queria comprar a Petrobras.
O Wikileaks vazou telegramas do José Serra negociando a venda da Petrobras para a Chevron, caso ele fosse eleito presidente do Brasil.
Sorte do povo brasileiro que ele não conseguiu essa “façanha” apesar da Rede Globo ter trabalhado arduamente para isso.
A Rede Globo e a “grande mídia” brasileira baseada em São Paulo plantaram as acusações que puderam contra a Dilma e o Lula durante a campanha presidencial.
Mas o povo resolveu votar na Dilma.
A Rede Globo é sócia dos tucanos paulistas nos negócios deles.
A cada privatização das riquezas brasileiras ela leva o dela.
A Chevron agora seria dona da Petrobras e se chamaria Petrobrax se o plano dessa corja tivesse dado certo.
E o maior vazamento de petróleo no oceano brasileiro seria obra da Petrobrax.
Não da Chevron.
Bem que a Rede Globo tentou esconder e minimizar o desastre.
Mas agora é tarde.
Vazou!
Tanto o petróleo quanto a noticia.
Essa gente é sócia em tudo.
Até nos vazamentos.
Share:

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Bullying com tanajura


Tanajuras fazem parte das lembranças remotas atávicas da alma caboquinha.
Sempre quando chegam as chuvas lá pelas bandas de novembro, coincidindo com o Dia dos Finados elas aparecem aos bandos.
Enchem os quintais, os pátios, as calçadas, o asfalto e principalmente enchem as almas.
Minha mais remota infância volta toda vez com elas.
Todo mundo já foi criança.
Hitler, Einstein, Buda, Jesus e o Dori Carvalho, todo mundo já teve infância.
Todo mundo já foi criança.
E crianças são perversas.
A maldade da criança é algo terrível.
Criança não vale nada.
Lembro que pegávamos as tanajuras para comer a bunda gorda.
É uma delicia com farinha do uarini frita na frigideira.
Mas essa não era a maldade.
Matar para comer é da regra da natureza.
Alguém sempre vai comer alguém.
E um dia você vai também.
O sadismo infantil era pegar a tanajura, amarrar um barbante no rabo dela e na outra ponta amarrar um pedacinho de madeira.
Só pra ficar vendo ela se matar tentando voar e cair.
Aquilo era uma espécie de bullying cretino.
Sinceramente eu não me lembro de fazer isso.
Mas só em assistir e rir junto eu me sinto culpado até hoje.
Por isso quando elas aparecem no meu pátio a cada ano eu tento não pisar sobre elas.
Pisar nelas seria pisar na minha infância.
Share:

Bundão é bundão tanajura é tanajura


Tem uns insultos que vem das ruas, de origem popular, que não compreendo a relação do que com o que.
“Cara de buceta” é um desse insultos que não entendo.
Geralmente é usado para chamar alguém de algo escroto, para diminuir ou sacanear.
Para quem gosta, buceta é linda, sinônimo de origem da vida, uma parte da mulher que permite que o mundo inteiro exista enquanto raça humana.
Ou até por pura diversão.
Outro que não entendo é “seu bundão”.
Bunda é o que mais a canalhada brasileira gosta.
Porque “bundão” virou insulto?
Estou com idéia fixa nas tanajuras que aparecem sempre com as chuvas amazônicas.
O pátio da minha casa está cheio de tanajuras.
Elas me lembram minha infância e minha época mais pura.
Sejam bem vindas, queridas.
Share:

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Manaus está na época da tanajura


A tanajura é uma formiga alada, do sexo feminino, da família das saúvas.
É uma fêmea virgem que após acasalar, funda um novo formigueiro.
Em tempos mais quentes, quando está preste a chover, sai de suas tocas para pegar uma brisa em árvores, já que, nessa época, o estresse e o calor aumentam, provocados por aquele entra-e-sai sem fim, um caos.
Nada a ver com TPM e nem com sexo.
Em Manaus a época de tanajuras é aguardada junto com o dia de finados.
Esse ano chegou atrasado.
Minha casa está cheia de tanajuras.
A bunda da tanajura é cheia de gordura, pegava um monte delas e assava em frigideira.
Uma delicia.
Comia bunda literalmente.
Agora não.
As coisas mudaram.
Ando meio saudosista.
Tanajuras espalhadas pelo pátio da minha casa me enchem de lembranças da infância.
Ainda bem que eu tive.
E acho que parei nela.
Felizmente!
Share:

Fifitin... fifitin é bunda que tem duas metades com um rego no meio


Esse lance de usar termos em inglês para tudo está deixando a gente que é meio véio gagá confuso.
Sou do tempo do “criado mudo” que agora virou “mesa de apoio”.
Todo ano a gente tem que se reciclar no português sob pena de ser chamado de antiquado.
Todo dia tem uma gíria nova na novela que vira moda, tem uma Casa Cor e uma São Paulo Fashion Week com novos nomes par as coisas, cores e objetos.
O que era “salmão” até ontem agora é “telha”.
E entre uma estação e outra pode mudar tudo, basta a biba arquiteta, designer ou estilista da moda acordar com siricutico que o nome muda.
Para isso basta uma entrevista coletiva para avisar para os mortais que o por do sol agora vai se chamar “sunshine gay”.
Pronto.
Vamos todos para a Pedra do Arpoador bater palmas para o sunshine gay.
Chamei um moleque para dar aulas comigo e eu propus que fosse meio a meio.
Cinquenta a cinqüenta por cento para cada um.
Ele falou “só topo se for fifitin... fifitin, senão não rola”.
Acho que ele quis dizer “fifty to fifty”, cinqüenta a cinqüenta em inglês.
Fiquei com medo de ser deletado pelo moleque.
No meu tempo deletado era usar o dedo no fifitin... fifitin dos outros porque é que nem bunda que são duas metades com um rego no meio.
E o dedo da gente a gente usa onde quer.
Será que o nome ainda é dedo?
Share:

A Rede Globo, a Petrobras e a Chevron


A Rede Globo deu no Jornal Nacional a noticia sobre o vazamento de petróleo da empresa americana Chevron na Bacia de Campos.
Esse vazamento foi há vários dias e estava sendo escondido pela empresa e pela Rede Globo.
O JN deu a noticia como se estivesse lendo um comunicado da empresa.
E era.
Pareceu mais uma justificativa escrita pela Chevron.
E estranhamente o JN leu para o Brasil todo.
Ah se fosse a Petrobras que a Globo e os tucanos paulistas são doidinhos para vender para Chevron.
Iam fazer o maior escarcéu.
Iam taxar de empresa de quinta sem categoria e sem competência.
Mas foi a Chevron.
A Chevron pode.
A Chevron é aquela empresa que o José Serra estava negociando a venda da Petrobrás antes mesmo de ser eleito presidente, de acordo com documentos e telegramas vazados pelo Wikileaks.
A Petrobrás ia se chamar Petrobrax e o Pre Sal brasileiro iria se chamar Pre Salt e iria abastecer o bolso americano.
Sorte nossa que o Serra se ferrou.
Nessa transação como em todas que envolvem privatizações a Rede Globo leva o dela.
Esse projeto “vende que a casa é da mãe Joana” é dos tucanos e da Rede Globo.
Eles são sócios em tudo.
Por isso é denuncia atrás de denuncia contra o partido que atrapalha os tucanos paulistas de venderem o Brasil.
Parece até que em São Paulo não tem corrupção.
Dizem que o vazamento de petróleo foi enorme.
Mas a Chevron pode.
Ela é sócia da Globo.
Share:

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Festa V.A.M.O.S. D.A.R P.O.R.R.A.D.A. E.M. G.A.Y. causa polemica na internet


Tudo começou com a festa M.I.S.S.A.
A festa M.I.S.S.A. está causando a polemica que quis criar.
Quando um grupo pensa um nome desses e utiliza nomes ou objetos de culto de grupos da sociedade, é porque quer se utilizar disso para fazer sucesso através de polemica.
Isso é um recurso válido, porem pobre e passível de enfrentamento.
Quem quer causar, causa.
Acho uma grande merda fazer isso.
É apelação de cretino.
Daqui a pouco alguém pode fazer uma festa chamada V.A.M.O.S. D.A.R P.O.R.R.A.D.A. E.M. G.A.Y. ai vai aparecer um bando de gente fazendo campanha contra.
A homofobia tem sido combatida pela sociedade que não suporta violação de direitos humanos.
Como também os católicos tem o direito e dever de brigar pela preservação dos seus ritos sagrados e dos nomes atribuídos aos seu cultos.
A utilização indevida de objetos de culto alheio agride a democracia.
Liberdade de expressão nada tem a ver com isso.
No mais é neguinho querendo ganhar dinheiro fazendo polemica com coisa nada a ver com festas de bundalelê eletrônico.
Bem que eles podiam continuar chamando essas festas com nomes exóticos tipo Raitiuflaiti Under Tôba By.
Esse papo de usar o nome de um rito católico é coisa de veado pra causar.
Só pra passar impressão de rebeldia contra algo e no fundo só quer a grana dos trouxas que acham que são do contra.
Só tem esperto nessa porra.
Por isso que eu sou mais o Nunes Filho.
Share:

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Ambientalistas criados em cativeiro voltam a comer carne vermelha


Acusando a criação de gado bovino de ser causador de desmatamento, alguns ambientalistas criados em cativeiro largaram mão de comer carne de gado e começaram a comer carne de soja.
Agora voltaram a comer carne bovina porque o plantio de soja ameaça destruir a Amazônia.
Churrasco de carne de soja deve ser podre mesmo.
Pena que ficando véio e com colesterol alto eu não possa comer carnes gordas.
Carne gorda tem seu valor.
Carne magra não dá churras.
Deu até inveja desse povo ambientalista criado em cativeiro que liberou a picanha.
Inveja mata mais que gordura animal.
Sabia?
Share:

domingo, 13 de novembro de 2011

O Cala Boca Galvão vai vampirizar o UFC também


O Galvão Bueno não é só o cara mais chato, invasivo e sem noção do Brasil.
Ser chamado de chato é o pior insulto possível.
Tem perdão para tudo.
Para ladrão, assassino, canalha e otários.
Mas para chato não.
Chato não merece perdão.
Porem o Cala Boca Galvão é também nocivo, predador, oportunista e sanguessuga do esporte nacional.
Em toda modalidade de esporte que dá grana, ele e a quadrilha da Rede Globo entram pra se apossar e controlar.
Foi assim na época do Sena na Formula Um com seus gritos escandalosos a cada vitória.
Com o Ronaldinhooooooooooooo... Fenômeno a cada corrida que ele dava.
Tudo levando o seu.
Ele sempre come a parte dele nas transações.
Ganhar dinheiro não é crime.
Crime é usar a seleção brasileira de futebol para valorizar os jogadores da lista dele sacaneando os outros.
Quando ele começa a falar mal de um atleta, a pegar no pé, é porque não é da lista de negócios dele e dos “empresários” do futebol e do Ricardo Teixeira.
Esses vampiros transformaram o futebol brasileiro em mero chiqueiro de engorda para o milionário futebol europeu.
O Neymar não foi porque o Brasil está ficando rico e porque o empresário dele é o pai dele.
Se fosse contratado da galerinha do mal ele já estaria jogando no Real Madri.
O chato sem noção e sanguessuga do esporte brasileiro agora cismou de desembarcar no UFC.
Afinal rola muita grana no esporte hoje em dia.
Alem de chato e pé frio, esse safado pode levar o UFC para onde der mais dinheiro.
Espia só!
Share:

Virada Cultural: Ao menos rolou o blog das primas


A Oficina de Produção Literária para Web que seria hoje no IGHA não rolou porque não tinha ninguém da Prefeitura para abrir o auditório.
Algumas pessoas fizeram o sacrifício de acordar domingo de manhã para participar da oficina.
Domingo às nove da manhã é foda.
Mas afinal é na Virada Cultural, faz parte.
Só quem não compareceu foi a prefeitura.
Para não perder o embalo e nem meu tempo resolvi dar oficina para as “primas” que tradicionalmente ocupam aquela região da cidade.
O IGHA fica no Paço da Cidade, vizinhança da Frei José dos Inocentes, reduto de prostituição mais tradicional de Manaus.
Desde a época áurea da borracha, desde os coronéis de barranco que a região sempre foi puteiro.
Em um casario colonial estilo português que fica na rua Bernardo Ramos, no Paço da Cidade, hoje em ruínas, funcionou por várias décadas o Hotel Cassina e depois o Cabaré Chinelo.
Era uma época mais romântica em que as “primas” eram glamourizadas.
Vinha “prima” até da Polônia e da França
Hoje elas batem calçada e são tratadas com falta de respeito.
Vivem uma vida miserável no limite do sub humano.
Por isso elas precisam de voz.
Por isso a brilhante idéia de fazer o Blog das Primas.
É só o começo.
Depois vem mais.
Share:

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Vai sair a Marcha do Facebook por causa do apagão do onze do onze do não sei o que lá


O povo facebookiano pode ser tudo, menos um povo desplugado.
Despluga um facebookiano que você vai conhecer a ira de oia o Alá, de Bunda, de Jesus and Mary Chain, do Capeta, de Exú e de Ogum.
Esse tal de onze do onze do não sei o que lá que tem uma tal de energia mística fez foi causar um blackout em Manaus durante toda a manhã.
Bem que poderia ser o começo do fim do mundo.
Para a nação facebookiana falta de energia é pior que a morte.
E não vem com esse papo de second life.
Faz muito tempo que o mundo facebookiano é o único para muita gente.
A falta de energia pirou o cabeção desse povo todo.
Maridos chegando em casa do trabalho e vendo a mulher possuída pelo Demônio da Tazmania, chupando o pau da barraca de ódio por conta da falta de energia.
Nem o almoço ela fez.
Que o trouxa vá comer na casa do caralho.
Eu quero é o meu Facebook!
Por essas e por outras estão organizando a primeira Marcha da Maconha... ou, desculpa, Marcha do Facebook, para protestar contra essa sacanagem.
A TV WEB Canoa Multimídia estará cobrindo o evento.
A concentração está marcada para acontecer na Ponte Rio Negro.
O plano é parar a cidade a partir da ponte.
Se não parar aproveita para ver o por do sol que é lindo visto de lá.
O problema é que depois de anos afundado no limbo do Facebook, 90% dos facebookianos não sabem onde fica a ponte.
Mas é só procurar no Google Maps, besta.
Share:

A nova literatura dos blogs sujos


Thomas Pettitt tem provocado polemicas no meio acadêmico afirmando que a humanidade está voltando à cultura de transmissão oral da informação e do conhecimento, tornando a época da imprensa escrita de Gutenberg apenas um parêntese na história. Ele construiu a "Teoria do Parêntese de Gutenberg" para analisar uma época entre a invenção da imprensa por Gutenberg até os dias atuais com a invenção das mídias eletrônicas e das redes sociais.
Segundo ele a era digital derruba as barreiras entre imprensa tradicional e novas mídias.
A sobrevivência dos meios de comunicação tradicionais vai depender única e exclusivamente da sua credibilidade.
A internet revolucionou os costumes e a literatura não podia ficar de fora dessa revolução, assim como a musica e outras atividades da vida.
Fazer literatura antes da internet e dos blogs era para poucos.
Principalmente pela dificuldade de publicação, veiculação e os custos envolvidos.
As editoras seletivas e aprisionadoras do conhecimento literário quase inviabilizavam a publicação de livros.
A parte do lobo era e ainda é das editoras.
Assim como no mercado fonográfico.
Quem ganha grana com disco é o dono da empresa fonográfica.
Ao artista sobra fazer shows para ganhar o seu.
A expansão da produção literária através dos blogs incentiva um numero maior de pessoas a escrever e publicar.
Mas isso não diminui a qualidade da literatura como dizem alguns “eruditos” que se acham donos da verdade literária.
Na verdade o volume maior de pessoas escrevendo faz com que apareça uma grande variedade de formas de se fazer literatura.
E de forma independente, sem o crivo e o senso dos ”eruditos” que fazem parte do mercado editorial tradicional que lucra muito com esse elitismo literário.
Afinal, concorrência nunca é bom para quem está acostumado a lucrar horrores em um mercado monopolista.
Em Manaus só tem uma editora de peso especializada em publicar autores locais.
Publicando autores travados no parnasianismo, parados no tempo literário que odeiam o novo.
E trabalha de forma seletiva, elitista e extorsiva.
O autor sempre se ferra.
Melhor ser Independente Futebol Clube.
Viva o anarquismo literário da internet!
Share:

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Enquanto isso o mundo se desfaz em terras facebookianas


Tragédias humanas são todas parecidas.
O mal contra o bem.
O belo contra o feio.
O certo contra o errado.
A luz contra a escuridão.
O foda é que todo mundo é o bem, o belo, o certo e a luz.
Não tem um neguinho para jogar do meu lado.
Se não houver outro time não tem jogo, caralho!
Ninguém é mal, ninguém é feio, ninguém é errado, ninguém é das trevas.
Assim não tem jogo, cambada!
Na hora de dar as camisetas corre todo mundo para um lado só.
Que jogo triste esse!
Share:

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Transar em busão interestadual é legal


Nesses tempos bicudos de amores e relacionamentos facebookianos carregados de neuroses virtuais, sair do ambiente insano da internet é como desplugar o cérebro.
Viajei para Itacoatiara de busão de linha.
Quatro longas horas pela noite à dentro.
Em uma estrada no meio da Amazônia.
O saculejo do ônibus, a escuridão, o ócio, a proximidade com as pessoas cria uma intimidade que vai descambar em pensamentos ardentes e em sexo.
Assim como em viagens de navios, de trens e de carroças.
Carroças não, pode quebrar a louça.
Muitos amores se passam durante essas viagens.
Ao menos é assim no cinema.
E com certeza é assim nos barcos de linha da Amazônia.
Muitas dessas viagens acabaram em gravidez sem nem saber o nome do pai.
De volta ao busão em direção a Velha Cerpa.
No barulho da lataria velha do busão aos cacarecos entre um buraco e outro, eu e meu amor tentávamos dar as mãos.
Como dar as mãos estava ficando dificil pensamos em penetração subterrânea embaixo do cobertor.
Sim, porque apesar do busão ser um cacareco ele tinha ar condicionado que matava um de pneumonia.
Não rolou porque o busão furou o pneu e nós tivemos que descer embaixo de chuva amazônica.
Vou te contar viu!
Eta coisa desorganizada!
Share:

A industria do “falso dossiê” e da fabrica de provas alimenta a imprensa corrupta novamente


A bola da vez é o governador Agnelo Queiroz de Brasília.
E junto mais um ministro da Dilma, tanto faz.
O lance é balançar o coreto para ver se abala as estruturas pra cair um dindin no meu jabá.
É disso que essa imprensa tem vivido.
Se alimentando da corrupção, mas também da calunia e da difamação.
Basta ter quem pague mais.
Só que dessa dessa vez a casa caiu para o lado certo.
Há duas semanas, Daniel Tavares entregou documentos à deputada distrital Celina Leão (PSD) que comprometeriam Agnelo Queiroz.
Entre eles, estava o extrato bancário que comprova o depósito efetuado por ele na conta-corrente de Agnelo Queiroz, que ocupava, na época, o cargo de diretor da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
Agnelo diz se tratar do pagamento de um empréstimo acordado verbalmente.
Isso não adiantou.
A revista Veja, a Rede Globo e o escambau ouviu o acusador sem dar importância para a defesa.
Essa é a regra.
No ímpeto de ser oposição a imprensa ajudou a derrubar o ministro Alfredo Nascimento, um corrupto, e no embalo um bando de gente inocente.
Agnelo Queiroz sempre disse que estava sendo vitima de armação criminosa dos criminosos do DEM que perderam o governo do Distrito Federal no episodio do mensalão do DEM de Brasília.
Hoje, o mesmo Daniel Tavares vai a televisão de Brasília dizer que as deputadas distritais Celina Leão (PSD) e Eliane Pedroza (DEM) lhe ofereceram R$ 400 mil e mais uma mesada durante um ano para que acusasse o governador Agnelo Queiroz de ter recebido propina do laboratório.
É essa imprensa que juntamente com a oposição ao governo Dilma esta plantando e fabricando provas para alimentar escândalos, que quer passar o Brasil a limpo.
Quem vai acreditar em uma imprensa assim?
Ah se não fosse a internet!
Estaríamos fritos.
Share:

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Enfim o Datena matou um repórter


Esses programas assistencialistas, policialescos, politiqueiros de quinta categoria viraram moda no Brasil.
De cabo à rabo.
O esquema é o conhecido espreme que sai sangue.
Sangue de pobre, preto e ladrão de galinha.
Claro.
O esquema é tão bom que metade da bancada dos vereadores, deputados estaduais e federais dos estados é formada por esse tipo de gente que vem desses programas de baixa categoria.
Virou uma máquina para fazer políticos e campanha ilegal durante o ano todo sem ser incomodado pela justiça eleitoral.
Cada canal de rádio e televisão tem o seu Datena.
Seu Ratinho.
E a competição que eles travam entre si é que põe os repórteres na linha de fogo.
Junto com a conivência de uma policia que adora aparecer na televisão.
Prendendo preto, pobre e ladrão de galinha.
Em alguns países sérios essa conivência imprensa e poder publico é crime.
Mas aqui até o ex Ministro do Supremo Gilmar Mendes é garoto propaganda da oposição na televisão.
Até o STF foi avacalhado.
Imagine as policias aqui embaixo!
Quando esses repórteres recebem ordens desses Datenas da vida para entrar na favela para dar um furo de reportagem eles sabem que podem levar um furo de bala.
É do oficio.
Mas são os Datenas que recebem quatro milhões por mês.
É o programa de maior audiência da BAND.
Enquanto alguns ganham fortunas outros viram deputados, senadores e governadores.
E há jornalista que é contra regulamentação da imprensa.
Achando que regulamentar é censurar.
Aff!
Share:

domingo, 6 de novembro de 2011

Depressão, tristeza e ressaca tudo junto e misturado


Depressão, tristeza e ressaca são coisas distintas, melhor não ter as três... por favor!
Virou moda dizer que bode preto, tristeza e o escambau é depressão.
Só pra bancar o inteligente.
Hoje em dia ninguém fica triste.
Tem depressão.
Tristeza é coisa de leso.
Depressão é coisa chic, tem na novela.
Só quem nunca teve depressão pensa assim.
Tristeza dá e passa.
Depressão não.
O aspecto mais terrível da depressão é o fato de seu portador ter plena consciência de seu estado.
Em geral sabe muito bem que está doente, sofre atolado num limbo do qual não consegue se livrar, aprisionado numa mente defeituosa, o que aumenta ainda mais o seu sofrimento.
Tristeza demora bem menos. Basta matar a causa dela.
Ou esquecer.
O mesmo não acontece com a ressaca.
Ressaca pra quem tem é o oohhh!
Fico imaginando uma pessoa miserável que tem os três ao mesmo tempo.
Tristeza, depressão e ressaca.
Para ressaca tenho um enorme pé de boldo no quintal
Depressão nem sei o que é.
Para a tristeza tenho uma Rosa que enfeita o meu lar.
Meu único problema é o meu vizinho flamenguista bêbado se achando.
Ah nem!
Share:

Fundada a Associação Bungee Jump de Cipó da Ponte Rio Negro


Apesar da Secretária de Segurança ter proibido o salto de base jumping depois do salto do Stanley William, um base jumper que tem 20 anos de experiência e mais de 500 saltos, a galerinha dos bebuns de Iranduba que estão saltando da ponte com corda de juta acabou de criar a associação deles para que não tenham o seu esporte recém inventado também proibido.
Eles alegam que para o fato de que a corda de juta não dê pra fazer o elástico que faz voltar da queda, basta por uma canoa lá embaixo para apanhar o corpo no rio.
Outra alegação para a criação da associação dos praticantes do esporte é que já está virando meio de vida para vários moradores da região.
O salto para transeuntes interessados sai por 10 reais sem a carona de volta de canoa pela Praia do Brito.
Com o traslado do corpo sai por 20 reais.
Com traslado, caixão e tudo mais, sai mais caro.
Quem anda pensando em fundar uma associação também na carona é a galera do Salto Ornamental Sincronizado da Ponte Rio Negro.
Para quem não conhece o recém criado esporte, ele consiste em reunir uma galerinha nos arredores da ponte, beber umas dez garrafas de cachaça enquanto andam até o vão central da ponte que tem 65 metros.
Depois é só subir na grade de proteção que tem altura excelente de baixa para a prática do esporte, ficar de mãos dadas e pular até o rio.
Quem chegar por ultimo é fresco.
Mas depois eles vão mudar as regras para que fiquem mais competitivas e sem essas coisas de fresco no meio que não pega bem para o esporte.
O que ainda está pegando desse esporte improvisado é que quase 100% dos atletas não voltam da queda.
Mas isso é detalhe.
Depois ajeita.
Hoje a Ponte Rio Negro estava lotada de carros estacionados do lado do Iranduba.
Só esperando à hora de fazer o esporte que está virando moda.
Share:

sábado, 5 de novembro de 2011

"Vai passear na ponte" virou palavrão


Com a inauguração da Ponte Rio Negro ela virou ponto turístico.
É o maior visual atravessar andando tendo embaixo o majestoso Rio Negro.
Já tem gente até fazendo bungee jump com corda de juta de cima dela.
Só não dá pra voltar depois da queda.
O povo ainda não sabe porque.
Tem uns bebuns da região de Iranduba que estão fazendo salto ornamental sincronizado do vão central da ponte .
O lance é tomar umas garrafas de cachaça, ficar nu e subir na mureta de proteção que é muito baixa e pular de mãos dadas. Quem chegar por ultimo é fresco.
Os dois que inventaram essa modalidade de esporte não voltaram até hoje.
Parece que morreram na queda.
Tem uma aposta circulando nos arredores para saber quando vai ter o primeiro suicídio.
O Emo Sapiens ia se matar se jogando de lá, mas o namorado dele não deixou.
Agora o povo metido a chic da cidade quando quer sacanear alguém diz “vai passear na ponte” como se fosse coisa de cabocão ir passear na ponte.
Eta povo feio que se acha!
Share:

A internet e a loira burra


A Luana Piovani é o exemplo clássico de como a internet poder ser uma faca de dois legumes.
Ao mesmo tempo em que a internet é libertadora, democrática e anárquica, ela pode dar voz as idiotices e babaquices de uma boa atriz e uma linda mulher, mas que se acha e é burra pra cacete.
Só essa semana a Luana Piovani mandou duas perolas que criou polemica na internet.
Primeiro, sugeriu que o Lula fosse tratar seu câncer no SUS pegando carona de uma campanha de um bando de ressentidos e magoados autores dessa campanha de péssimo gosto.
Tanto que foi repelida pelo Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves, dois oposicionistas do Lula que não concordaram com a leviandade da campanha.
Depois, revelou ao Brasil que o padre Antonio Vieira mora em "Sampa" em uma conversa com seu namorado surfista.
Para bancar a inteligente com o cara mandou essa perola.
O padre Antonio Vieira foi um pensador do século 17.
As duas afirmações têm algo em comum: a burrice de uma pessoa que tem uma língua grande e que se acha.
A loira burra tem na internet um microfone escancarado para soltar o verbo.
E um milhão de seguidores pra aplaudir.
A internet tem disso.
Share:

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Estupraram o Justin Babier


Uma garota de 20 anos alega que o cantor Justin Bieber de 17 anos, é o pai do filho dela.
Ela pode ser acusada de estupro porque a lei americana diz que "qualquer um que tenha relações sexuais com um menor cuja diferença de idade seja de três anos ou mais está cometendo um delito."
Fico imaginando uma menina dizendo pra um cara "levanta essa porra, levanta caralho, senão leva porrada!"
E o pau automaticamente levanta.
Espia isso.
No dia em que Mariah Yeater alega ter feito sexo com Bieber ele tinha apenas 16 anos e ela 19.
Que menina má!
Maria Yeater está processando o cantor teen para que ele reconheça a paternidade de seu filho.
Mariah diz que foi em um show de Bieber em Los Angeles e fez sexo com ele no backstage.
"No dia 6 de julho eu dei à luz um menino. Isso foi exatamente 36 semanas e dois dias depois de eu fazer sexo com Justin Bieber. Baseada no tempo e no fato de que não houve nenhum outro homem que eu fiz sexo na época, eu acredito que Justin Bieber é o pai do meu bebê."
Os representantes de Bieber negaram que a história possa ser verdade.
"Apesar de não termos visto o processo, é triste que alguém fabrique histórias maliciosas, difamatórias e falsas. Nós iremos usar todas as ferramentas legais contra essas acusações."
Eles disseram ainda que seria impossível que o cantor estivesse sozinho com a mulher em questão no backstage.
Bom.
Bastava os representantes do Justin Bieber dizer que ele não gosta da fruta.
Mesmo que isso não seja verdade.
Ser gay até vende bem.
Esse pessoal não pensa!
Share:

O ENEM vai ser prefeito de São Paulo


A chamada “grande imprensa” acompanha a grana de São Paulo.
São Paulo concentra a riqueza nacional.
A imprensa tem mais é que levantar o toba e pagar boquete mesmo.
Quem controla o governo de São Paulo a 20 anos é o PSDB.
Por isso a grande imprensa senta o cacete nos adversários.
Corrupção só tem um lado.
A bola da vez é o ENEM.
Não importa se o ENEM é um sistema positivo e igualitário de inserção na educação para milhões de brasileiros.
Brasileiros não importam, brasileiros que se fodam.
O que importa é o “mercado” controlado por São Paulo.
Desde que esse mercado despeje dinheiro no meu ralo.
Essa é a lógica dessa chamada grande imprensa.
Por isso nós os estúpidos, não acreditamos mais nela.
Os ataques diários que essa chamada “grande imprensa” faz ao ENEM é porque o ENEM vai ser prefeito de São Paulo.
Ela querendo ou não.
Se o ENEM for prefeito de São Paulo adeus a boquinha com a qual essa “grande imprensa” se alimenta.
O Governo de São Paulo compra assinaturas da Veja, da Folha de São Paulo e de outras revistinhas há muitos anos para distribuir nas repartições e escolas publicas.
Para essas empresas de comunicação bater nos adversários e elogiar o governo paulista.
São milhões e milhões do contribuinte usados para fazer propaganda política, enfiando nas escolas publicas a ideologia do governo paulista.
Os nazistas faziam isso.
Se eles perderem a prefeitura de São Paulo, babau.
Adeus ao angú.
Por isso bater no ENEM é salvar a boca livre.
O ENEM é o ministro Fernando Haddad indicado pelo Lula para ser candidato a prefeitura de São Paulo.
E agora esse maldito câncer curável do Lula vai aumentar a popularidade estratosférica dele.
Fodeu.
Vamos bater no ENEM que não tem Lei Maria da Penha.
Pensa o PIG (Partido da Imprensa Golpista).
Share:

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Duplas sertanejas em temporada de briga


Com a ascensão dos sertanejos solos como tendência musical primavera verão Riachuelo, as duplas sertanejas com medo de perder espaço estão apelando para chamar a atenção dos fãs ameaçando terminar o caso antigo.
Isso alimenta esse povo que vê maldade em tudo.
Agora estão espalhando que o Chitãozinho e Xororó também vão terminar a dupla só para não ficar por baixo da dupla concorrente e vê se arruma uma vaga no Programa do Jô para falar bobagens também.
Falando nisso o Luciano tomou algo mais forte que Revotril com uísque.
Não é possível que mesmo depois de ter saído do CTI de um hospital, 24 horas depois no Programa do Jô ele ainda estivesse com cara e jeito de quem estava doidão.
Falou tanta coisa sem noção que o povo maldoso ficou achando que era LSD.
Isso tudo por causa de um microfone desligado.
Esse povo maldoso foi dizer para o Luciano que o Zezé nunca ligou o microfone dele nos shows.
Pode?
Se essa moda de briguinha pega para chamar atenção da imprensa, daqui a pouco o Oasis volta só porque foi imitado por caipiras.
E quem sofre é quem não gosta do gênero.
Ao invés de um tem dois enchendo as rádios e tvs com sua voz fina.
O beicinho do Luciano vai fazer bombar os próximos shows da dupla.
Só quero ver se o Chimbinha vai fazer algum barraco com a Joelma no palco só para chamar a atenção para a Banda Calypso.
Só quero ver.

Leia mais no http://cronicabipolar.blogspot.com/
Share:

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Meu Halloween foi de burca


As vezes até que eu sou inteligente.
Essas festas exóticas meio aviadadas tipo Halloween tem de tudo.
Mas acabam sendo cansativas e cheias de mesmices.
Por isso tive a idéia de ir de burca a varias delas.
Assim ninguém saberia nunca quem estava por trás da roupa.
Apesar do desconforto, o bom da burca é ouvir as fofocas da festa.
Até em festa a fantasia tem aquela turma da maldade que fica julgando a fantasia alheia.
A burca é uma cortina excelente.
O que se pode fazer embaixo de uma burca até o diabo duvida.
Na fila do banheiro, por exemplo, eu ajudei varias bruxinhas apertadas a mijarem dentro da burca.
Tinha uma galera doida pra fumar um baseado, eu mandei entrar e rolou na boa.
Casais afim de trair eu cobrava três cervejas meia hora.
Mas nem tudo é lucro no mundo das burcas.
Uma garota pediu pra entrar pra trocar o absolvente e largou o usado no meu pé.
Larguei dentro do copo de vinho de um bebum.
Levei meu Iphone para filmar e gravar os eventos.
Tenho material para dez anos.
Vou lançar a serie “Repórter Burca”.
Só para maiores.
Vou vender essa idéia pro Tio Adão.
Share:

O escroto odeia ser escroteado


O humor escroto é a “solução” encontrada quando uma pessoa, grupo de pessoas, partido políticos, empresas de comunicação e etc querem dizer algo politicamente incorreto, preconceituoso, criminoso, calunioso de alguém.
A isso chamam de liberdade de expressão.
Quando o Lula ganhou a presidência da republica dos tucanos paulistas que controlam a grande imprensa que é baseada em São Paulo, uma das armas usadas contra o Lula era o insulto preconceituoso.
Ficou comum ver em programas de televisão e em reporcagens jornalísticas, afirmações preconceituosas, veladas ou não.
Referencias a sua origem nordestina e pobre, a sua falta de escolaridade, cabeça chata, operário, cachaceiro, baixinho, barbudo, sem dedo, comunista, tudo virou motivação preconceituosa ofensiva.
Mesmo o cara sendo eleito por duas vezes pela grande maioria do povo brasileiro e ter saído do governo com altos índices de aprovação.
Mas foi eleito pela “massa de pobres nordestinos felá da puta”, dizem os cheirosos “democratas” do sul e alguns traíras do norte.
A liberdade de expressão virou escrotice para dizer o que se pensa com ares de inteligência e “liberdade democrática”.
E a democracia virou calhordice.
Com o câncer do Lula essa escrotice chegou a tal ponto que até alguns mais reacionários opositores ao Lula ficaram envergonhados com o tamanho da escrotice.
E a coisa mais absurda da ausência de noção dessas criaturas é que se você reage a eles, mesmo mantendo um nível de decência e inteligência que eles não têm, você é acusado de estar censurando, de estar sendo autoritário.
Ou seja, da mesma forma como o papa do humor escroto falou que “mulher feia tem é sorte se for estuprada”, eles ainda querem que a pessoa relaxe e goze.
Aí é pedir demais.
Calar é concordar.
Transformar o ouvido alheio em pinico tem conseqüências.
O jogo é esse!
Falou o que quis ouve o que não quis!
Isso é democracia, isso é liberdade de expressão também.
Afinal, saber ser escroto qualquer idiota sabe.
Share:

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Ninguem sobrevive a tanto feriado


Vem chegando o natal.
As lojas já estão piscando suas luzinhas contando o nosso dindin.
A cada piscada que nem cú de pinto é um real que entra.
Pra eles.
Mas até o natal ainda tem uns oitenta feriados.
E haja cachaça.
Tem gente que de tanto que está gostando desses feriados atochados que já está pensando seriamente em não trabalhar mais esse restinho de ano.
Ainda tem quase dois meses pro natal.
Calma, relaxa!
Share:

A velha estória do “perdi tudo” voltou junto com as chuvas e alagações


A temporada de chuva da região amazônica chegou antecipada por conta do fenômeno “El Nina”.
Manaus já começou a sentir o impacto das chuvas que castigam a cidade todo ano.
Os igarapés poluídos que cortam a cidade e que tiveram suas margens ocupadas pela falta de ordenamento urbano transbordam a cada nova chuvarada.
Quem for podre que se quebre.
A força da natureza volta com toda a sua majestade igualando todo mundo.
Ricos e pobres.
Só que ricos invadem as margens dos igarapés e constroem verdadeiras muralhas afunilando o já estressado igarapé poluído.
Com isso suas casas não são invadidas.
Já a classe pobre com suas palafitas feitas com sobra de madeira penduradas dentro do esgoto em que o igarapé se transformou, quando cai essas tempestades, são arrastadas por elas.
Todo ano é a mesma coisa.
E o poder público não tira essas pessoas dessas áreas de risco.
Mesmo porque não tem moral para isso quando deixa que empreendimentos imobiliários caros sejam construídos ilegalmente às margens dos igarapés, ele perde o direito de tirar as favelas também.
Esses paraísos artificiais também causam impacto nos igarapés.
Não é só a palafita que joga bosta nas águas fétidas.
Com as chuvas voltando recomeça a novela do pobre que “não tem nada”, mas basta cair um temporal e ter a casa alagada para dizer “perdi tudo” na televisão.
Ou não se tem nada ou se tem tudo.
Foda que para a imprensa só é tragédia quando é bairro de rico que alaga.
Todo ano é isso.
Tão certo como as chuvas virão a cada final de ano na região amazônica.
Share:
Tecnologia do Blogger.

OCUPE REDE GLOBO

Loading...

Pesquisar este blog

Veja meu site profissional

Veja meu site profissional
Jorge Laborda é um cara metido a designer, escritor e a ser humano.

Blogs que vale conferir

Arquivo do blog

Definition List

Contact

Support