Um blog de crônicas da Barelândia para o mundo!

BTemplates.com

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

DESCOBRI PORQUE O DEPRÊ É DILMA


O Deprê é só um cão porem ele não se toca pra isso. Tem todas as síndromes humanas. Ele é maníaco depressivo por natureza beagle inglesa dele. Ele está comigo a três meses trazido por amigas que o encontraram abandonado pelas ruas. Chegou em minha casa adulto e cheio de doenças, mas está saradaço agora. Não sei à quanto tempo ele não transa. Deve está na maior secura, pois toda mulher que entra em casa ele bota pra cima, cheio de charme e cerca lourenço. Quando vê o Serra na TV late, quando vê a Dilma levanta as patinhas dianteiras e rodopia, parecendo cão de circo cretino. Acho que ele gosta é de mulher e quer ver uma mulher presidente do Brasil. Pena que ele não saiba que tem mulher é que é tudo vaca, que grande parte delas não vota na Dilma por ter preconceito de gênero e de classe. Ohhh raça traíra é mulher que não vota em mulher. Um dia o Deprê vai perceber que nem toda mulher presta.
Share:

O DEPRÊ VAI VOTAR PELA PRIMEIRA VEZ


Toda vez que o Deprê vê o Zé Baixaria vulgo José Serra aparecer na TV, ele late, roda e late e late. Eu explico que o Zé Baixaria é o bicho papão sim, mas na TV ele não pode fazer mal algum a ele. Não adianta, ele começa a rosnar para o Serra até eu mudar de canal, logo na parte em que ele condena o aborto, esquecendo que a Monica Serra, a mulher dele, já fez vários. Quando eu mudo de canal pra acalmar meu dog, piora, ele começa a rosnar pra mim e eu sou obrigado a voltar pra ver o Serra. Eu ia curtir esse feriadão em Presidente Figueiredo, me misturar à patuléia na Cachoeira do Urubui, e ia levar o Deprê pra nadar. Mas lembro que domingo é dia de Dilma e o Deprê também quer votar. Comprei uma camiseta da Dilma, cortei e vou vestir no Deprê pra fazer boca de urna domingo quando eu for votar. Sei que isso é ilegal para humanos, mas ele é só um cão, coitado.
Share:

O DEPRÊ MIJOU NA TV


Deprê é só um cão mas ele não se toca pra isso. Tem todas as síndromes humanas. Ele é maniaco depressivo por natureza beagle inglesa dele. Mas as vezes acho que é tipo que ele faz. Não sei se é pra me agradar, mas toda vez que ele vê na TV o Zé Baixaria vulgo José Serra, ele late e rosna. Eu tento acalmar dizendo que é só a TV, que não pode fazer mal algum, embora esteja tentando ser presidente do Brasil, país que ele e a turma tucana afundaram por três vezes quando foram governantes. Não adianta, ele fica enfurecido com a cara patética do Serra. Mas dessa vez ele passou dos limites, fui pegar uma cerveja na geladeira, quando volto pra sala o babaca do Deprê estava mijando na televisão. Dei uma sapecada nele, pois se o Serra fez o que fez por conta de uma bolinha de papel pra ver ser colava mais voto, imagine o que fará se souber que um cão eleitor da Dilma estava mijando nele, mesmo que pela TV. Esse Deprê precisa urgentemente de um psiquiatra. Já basta um doido aqui.
Share:

A Folha de São Paulo vai lançar matéria suja sobre a Dilma torturada na ditadura


Sader pergunta à Folha (*):
“Onde você estava em 1964?”


Há momentos na história de cada país que são definidores de quem é quem, da natureza de cada partido, de cada força social, de cada indivíduo. Há governos em relação aos quais se pode divergir pela esquerda ou pela direita, conforme o ponto de vista de cada um. Acontecia isso com governos como os do Getúlio, do JK, do Jango, criticado tanto pela direita – com enfoques liberais ou diretamente fascistas – e pela esquerda – por setores marxistas.
Mas há governos que, pela clareza de sua ação, não permitem essas nuances, que definem os rumos da história futura de um país. Foi assim com o nazismo na Alemanha, com o fascismo na Itália, com o franquismo na Espanha, com o salazarismo em Portugal, com a ocupação e o governo de Vichy na França, entre outros exemplos.
No caso do Brasil e de outros países latinoamericanos, esse momento foi o golpe militar e a instauração da ditadura militar em 1964. Diante da mobilização golpista dos anos prévios a 1964, da instauração da ditadura e da colocação em prática das suas políticas, não havia ambigüidade possível, nem a favor, nem contra. Tanto assim que praticamente todas as entidades empresariais, todos os partidos da direita, praticamente todos os órgãos da mídia – com exceção da Última Hora – pregavam o golpe, participando e promovendo o clima de desestabilização que levou à intervenção brutal das FAA, que rompeu com a democracia – em nome da defesa da democracia, como sempre -, apoiaram a instauração do regime de terror no Brasil.
Como se pode rever pelas reproduções das primeiras páginas dos jornais que circulam pela internet, todos – FSP, Estadão, O Globo, entre os que existiam naquela época e sobrevivem – se somaram à onda ditatorial, fizeram campanha com a Tradição, Família e Propriedade, com o Ibad, com a Embaixada dos EUA, com os setores mais direitistas do país. Apoiaram o golpe e as medidas repressivas brutais e aquelas que caracterizariam, no plano econômico e social à ditadura: intervenção em todos os sindicatos, arrocho salarial, prisão e condenação das lidreanças populares.
Instauraram a lua-de-mel que o grande empresariado nacional e estrangeiro queria: expansão da acumulação de capital centrada no consumo de luxo e na exportação, com arrocho salarial, propiciando os maiores lucros que tiveram os capitalistas no Brasil. A economia e a sociedade brasileira ganharam um rumo nitidamente conservador, elitistas, de exclusão social, de criminalização dos conflitos e das reivindicações democráticas, no marco da Doutrina de Segurança Nacional.
As famílias Frias, Mesquita, Marinho, entre outras, participaram ativamente, no momento mais determinante da história brasileira, do lado da ditadura e não na defesa da democracia. Acobertaram a repressão, seja publicando as versões mentirosas da ditadura sobre a prisão, a tortura, o assassinato dos opositores, como também – no caso da FSP -, emprestando carros da empresa para acobertar ações criminais os órgãos repressivos da ditadura. (O livro de Beatriz Kushnir, “Os cães de guarda”, da Editora Boitempo, relata com detalhes esse episódio e outros do papel da mídia em conivência e apoio à ditadura militar.)
No momento mais importante da história brasileira, a mídia monopolista esteve do lado da ditadura, contra a democracia. Querem agora usar processos feitos pela ditadura militar como se provassem algo contra os que lutaram contra ela e foram presos e torturados. É como se se usassem dados do nazismo sobre judeus, comunistas e ciganos vitimas dos campos de concentração. É como se se usassem dados do fascismo italiano a respeito dos membros da resistência italiana. É como se se usassem dados do fraquismo sobre o comportamento dos republicanos, como Garcia Lorca, presos e seviciados pelo regime. É como se se usasse os processos do governo de Vichy como testemunha contra os resistentes franceses.
Aqueles que participaram do golpe e da ditadura foram agraciados com a anistia feita pela ditadura, para limpar suas responsabilidades. Assim não houve processo contra o empréstimo de viaturas pela FSP à Operação Bandeirantes. O silêncio da família Frias diante da acusações públicas, apoiadas em provas irrefutáveis, é uma confissão de culpa.
Estamos próximos de termos uma presidente mulher, que participou da resistência à ditadura e que foi torturada pelos agentes do regime de terror instaurado no país, com o apoio da mídia monopolista. Parece-lhes insuportável moralmente e de fato o é. A figura de Dilma é para eles uma acusação permanente, pela dignidade que ela representa, pela sua trajetória, pelos valores que ela representa.
Onde estava cada um em 1964? Essa a questão chave para definir quem é quem na democracia brasileira.
Share:

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O perigo Dilma presidente para os homens


As mulheres estão tomando todos os postos de trabalho masculinos na sociedade moderna. Tem mulher bombeiro, torneiro mecânico, soldadora, pedreira e os escambau. Profissões que antes eram ocupadas somente por homens agora as mulheres entraram de sola. Em compensação tem homem manicure, babá, costureiro, diarista, etc. Com a Dilma presidente o perigo é ver mulher roubando o ultimo emprego ainda masculino no mundo, qualquer hora vamos ver mulher travesti. Quando isso acontecer, o que vai ter de cliente zangado quando descobrir no motel que pagou um traveco e levou uma mulher. Vai dar um bode preto, isso tem que ser regulamentado, senão o Ronaldinho zanga. No mais, vamos votar na Dilma presidente, que tá tudo certo.
Share:

Chaui: ‘tucanos articulam violência para culpar PT’


A filósofa Marilena Chaui denunciou nesta segunda-feira (25) uma possível articulação para tentar relacionar o PT e a candidatura de Dilma Rousseff à violência. De acordo com ela, alguns partidários discutiram no final de semana uma tática para usar a força durante o comício que o candidato José Serra (PSDB) fará no dia 29.
Segundo Chaui, pessoas com camisetas do PT entrariam no comício e começariam uma confusão. As cenas seriam usadas sem que a campanha petista pudesse responder a tempo hábil. “Dia 29, nós vamos acertar tudo, está tudo programado”, disse a filósofa sobre a conversa. Para exemplificar o caso, ela disse que se trata de um novo caso Abílio Diniz. Em 1989, o sequestro do empresário foi usado para culpar o PT e o desmentido só ocorreu após a eleição de Fernando Collor de Melo.
A denúncia foi feita durante encontro de intelectuais e pessoas ligadas à Cultura, estudantes e professores universitários e políticos, na USP, em São Paulo. “Não vai dar tempo de explicar que não fomos nós. Por isso, espalhem.”
Ela também criticou a campanha de Serra nestas eleições. “A campanha tucana passou do deboche para a obscenidade e recrutou o que há de mais reacionário, tanto na direita quanto nas religiões.”
Share:

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

DILMA, A VACA PROFANA


A Dilma sofreu e está sofrendo um dos maiores ataques sórdidos que se possa utilizar em uma campanha eleitoral onde a baixaria é o tom. Quando o Zé Baixaria vulgo José Serra entra no jogo, todo mundo sabe que vai ter sangue e golpe baixo. Essa discussão torpe sobre o aborto é de aviltar as mulheres, porem a Dilma tem sabido levar a corja fundamentalista e hipócrita com inteligência, embora se deixe levar por seus argumentos de baixa qualidade. Torço que ela haja como uma vaca profana e ponha seus cornos pra fora e acima da manada. Uma mulher que foi torturada durante a ditadura militar por estar lutando pela democracia sabe respeitar sua lagrimas e muito mais suas risadas e acredito que ela vai ser presidente do Brasil e derramar seu leite bom nas nossas caras e o leite mau na cara dos caretas. Teta para isso ela tem. Emprestei textos do Caetano porque esse veadinho calado já está errado e porque de novo o Chico Buarque é “O CARA”! E viva o Brasil assim mesmo.
Share:

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Carta aos fantoches e sua visão pré-darwiniana que ameaçam jogar o Brasil no atraso do neoliberalismo novamente


"Agora vou falar dos envergonhados, esses que passaram oito anos disseminando mentiras sobre a transposição do São Francisco, acusando Lula de só beneficiar o agronegócio, demonizando as novas hidroelétricas, tumultuando audiências públicas em nome de índios e caboclos desprovidos de luz elétrica, obstruindo a construção de pontes e estradas que integrariam o continente, combatendo os transgênicos em nome de uma visão pré-darwiniana da natureza, esses que se condoem com gatinhos e pererecas, mas não com os meninos de rua ou os moradores de palafitas. Esses, que agora estão lançando manifestos dizendo envergonhadamente para votar contra o Serra. Por que não dizem bem alto votem na Dilma?
E também essas todas, amigas minhas, da Vila Madalena, de Pinheiros, da USP, mulheres esclarecidas, emancipadas, que votaram na Marina apesar de evangélica e anti-aborto e agora descobriram que todo o seu estado maior é formado por tucanos. Ou ainda não descobriram? A vocês todas eu digo: não se trata agora de derrotar o Serra ou o neoliberalismo. Tudo isso é transitório, efêmero. Trata-se de derrotar a grande conspiração obscurantista. Trata-se da luta milenar da razão contra a superstição, da tolerância contra o fanatismo, da modernidade contra o atraso. "

Bernardo Kucinski é jornalista, autor, entre outros, de “A síndrome da antena parabólica: ética no jornalismo brasileiro” (1996) e “As Cartas Ácidas da campanha de Lula de 1998” (2000)
Share:

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O Serra e seu ladrão afro descendente


A eleição presidencial no Brasil sempre foi marcada por escândalos fabricados pela grande imprensa elitista que não suporta a idéia de um presidente ligado ao trabalhismo ou a origem nas camadas mais pobres. A revistinha Veja, a Folha de São Paulo ou o Estadão fabricam a denuncia de manhã e a noite a Rede Globo no indefectível Jornal Nacional dá um ar de veracidade a elas, sendo verdade ou não, pouco importa. O esquema se repete a cada eleição desde a abertura política. O Lula foi alvo desse massacre em todas as eleições que disputou. Essa semana a estratégia vai se repetir ferozmente. Vão pipocar acusações de toda ordem contra a Dilma Roussef, criadas na central de baixaria em que se transforma o que no Brasil é chamado de grande imprensa. A família Marinho da Rede Globo, a família Frias da Folha de São Paulo, os Mesquitas do Estadão e os Civita da Editora Abril que publica a gosmenta revista Veja, todos eles apoiaram o golpe militar, a ditadura implantada no Brasil e detestam a idéia de perder o controle do estado brasileiro para um presidente de origem popular. Essa fixação faz com que sistematicamente apóiem um candidato que defenda seus interesses, nessa eleição no caso é o Serra. Tanto que para isso eles blindam o Serra de todas as formas. Essa semana a campanha serrista é flagrada sendo surrupiada em quatro milhões de reais pelo Paulo de Souza, vulgo “Paulo Preto”, homem de confiança do FHC e diretor da DERZI que construiu o Rodoanel, sempre sob acusação de superfaturamento e nunca investigado. A imprensa aceitou a defesa do Serra ao se explicar dizendo que não conhece nenhum “Paulo Afro Descendente” mas sim o Paulo de Souza. Ahhhhhh....tááááá! Se fosse gente do PT por muito menos estavam fazendo o maior barulho. A imprensa à muitos anos livra a cara dos tucanos corruptos para levar o seu. A Rede Globo ganhou do governo paulista o terreno carrissimo ao lado da Ponte Agua Espraiada de brinde pela força por esses anos de ataques ao PT, com provas ou sem provas. E assim caminha a nossa democracia.
Share:

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

MANIFESTO DE ARTISTAS E INTELECTUAIS PRO DILMA


Nós, que no primeiro turno votamos em distintos candidatos e em diferentes partidos, nos unimos para apoiar Dilma Rousseff. Fazemos isso por sentir que é nosso dever somar forças para garantir os avanços alcançados. Para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimento econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens e serviços da natureza, um país socialmente justo, que continue acelerando a inclusão social, que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional.
Um país que priorize a educação, a cultura, a sustentabilidade, a erradicação da miséria e da desiguladade social. Um país que preserve sua dignidade reconquistada.
Entendemos que essas são condições essenciais para que seja possível atender às necessidades básicas do povo, fortalecer a cidadania, assegurar a cada brasileiro seus direitos fundamentais.
Entendemos que é essencial seguir reconstruindo o Estado, para garantir o desenvolvimento sustentável, com justiça social e projeção de uma política externa soberana e solidária.
Entendemos que, muito mais que uma candidatura, o que está em jogo é o que foi conquistado.
Por tudo isso, declaramos, em conjunto, o apoio a Dilma Rousseff. É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, solidária e soberana.
Leonardo Boff
Chico Buarque
Fernando Morais
Emir Sader
Eric Nepumuceno
Share:

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O Serra é do “bem” e vai nevar em Manaus


O Zé Baixaria vulgo José Serra, faz qualquer coisa pra se eleger. Alem de orquestrar uma campanha sórdida e suja pela internet sobre a questão do aborto e valores morais, coisa que um cara como ele que tem 17 processos correndo na justiça não poderia falar, agora está com discurso fundamentalista cristão. Parece um santo do pau oco. Serra é do bem, mas só se for do bem sujo, bem canalha, bem corrupto. Enquanto a Dilma era torturada pela ditadura o Serra fugiu para o Chile. A Dilma é a guerrilheira e ele o covardão que estranhamente ganhou Greengard do governo americano enquanto a Dilma estava presa pelos militares torturadores. O Zé Baixaria ainda vai ridicularizar a democracia brasileira com mais uma campanha suja, calhorda e deprimente, como é seu estilo, e a grande imprensa que vive do dinheiro do governo de São Paulo controlado pelos tucanos há 16 anos, vai reforçar essa sordidez. E viva o Brasil assim mesmo!!!
Share:

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dilma virou o Chuck, o Brinquedo Assassino


Para quem apostava que a Dilma era boneco de ventríloquo do Lula, depois do debate da Band viu que ela está mais para Chuck, o Brinquedo Assassino. Sofrendo pesados ataques de uma campanha suja orquestrada pela campanha do Zé Baixaria vulgarmente conhecido como José Serra, tanto na televisão quanto nos subterrâneos enlameados da internet, a Dilma resolveu reagir no debate da Rede Bandeirantes. O perigo dessa estratégia é que o esgoto da baixaria da política de denuncias vazias, da lama da calunia, é a especialidade do Zé Baixaria. Ele conta com o PIG, Partido da Imprensa Golpista ao seu lado. A Revistinha Veja da família Civita vende para o governo de São Paulo mais da metade de sua tiragem semanal para ser distribuídos nas escolas publicas e consultórios de dentista, assim como a Folha de São Paulo da família Frias. O Otavinho Frias se não for a grana dos tucanos, leva a Folha a falência, por incompetência e por fazer jornalismo sujo, partidário e sem credibilidade alguma. Só quem acredita na Veja, na Folha ou na Rede Globo é quem não viu as ultimas eleições para presidente da republica do Brasil. Toda eleição eles usam de jogo sujo para enlamear os concorrentes do seu candidato, geralmente representante da elite empresarial paulista com ideologia liberal aberta ao grande capital externo, esse ano garbosamente representado pelo Zé Baixaria. A merda é que não acabou, ainda vamos ver muita lama correndo pelos bueiros da internet surgidos nos escritórios paulistas que servem a campanha destrutiva que só desonra a democracia brasileira. Mesmo assim, viva o Brasil!!
Share:

domingo, 10 de outubro de 2010

O Bolsa Família, o Bolsa Doutor e o Bolsa Daslu


Essa eleição tem três lados como forças principais. O que acredita no projeto da Dilma e do Lula que é baseado na transferência de renda através do Bolsa Família e projetos de desenvolvimento que buscam girar o capital criando condições para brasileiros mais pobres ingressarem na linha do que chamamos de classe C. Os eleitores da Marina Silva, de cunho ambientalista, em que a grande maioria acredita no Bolsa Doutor e alguns até vivem dela. Eles detestam a concorrente Bolsa Família, dizem que é esmola a acaba criando uma cadeia de gastadores que no final podem vir a consumir em níveis que possam acabar com o planeta. Eles podem ter carro, ar condicionado, geladeira e viajar de avião para workshop, mas pobre nem fodendo. Já o eleitor do Serra, por ser da elite paulista ou um conservador de direita, odeia o Lula, odeia pobre e odeia o PT por acreditar no PIG, Partido da Imprensa Golpista, formado pela Rede Globo dos Marinhos, da Folha de São Paulo dos Frias, pela revistinha Veja da família Civita, todos criados e fortalecidos na ditadura militar. Por isso o ódio ao PT e a qualquer presidente de origem trabalhista. Esse eleitor curte Bolsa Daslu por acreditar na veracidade das marcas e dos cosméticos não importando se os donos da empresa sejam presos por falcatruas, já que os tucanos podem fazer qualquer coisa que a imprensa brasileira protege. Eles compram a maioria do patrocínio da Folha e da Veja através do governo de São Paulo para distribuição gratuita nas escolas, cometendo crime, e assim formando mais tucaninhos para alimentar o projeto nacional paulista. Foda é ver amazonense apoiando essa porra. O Arthur Virgilio Cardoso foi defenestrado pelo voto e não tocava no nome do Serra. Agora comanda a campanha suja aqui no Amazonas através de seus cabos eleitorais de grife. No Facebook a onda de boatos preconceituosos, calunias e difamação se espalha através das cabecinhas que se acham a elite baré, adoram ir pra Sampa comprar na Daslu, geralmente com dinheiro de origem mais do que conhecida. O Zé Baixaria vulgarmente chamado de José Serra conta com essa prestimosa força conservadora para fazer sua campanha suja. E viva o Brasil!!
Share:

Os Verdes da Marina e os Verdes de Fome


O ideal para o Brasil seria se os “Verdes” de verdade se unissem em torno de um só projeto e não se repetisse a luta fratricida entre o PSDB e o PT paulista que se alastra pelo Brasil e divide a nação de uma forma maniqueísta e irracional. Se o melhor do PT e o melhor do PSDB se unissem não sobraria espaço para as noivas sanguessugas do DEM e PMDB. Seria uma forma de diminuir a influencia maléfica das oligarquias e do clientelismo na política brasileira. Nessa eleição veio à tona um fenômeno que pode abrir outro fosso intransponível, já que diferença faz parte do gênero humano e da política, porem não se deve destruir pontes criando ausência total de dialogo. As políticas públicas do governo Lula são claramente focadas nas políticas sociais e desenvolvimentistas através de métodos de transferência de renda. Isso agride ao tucanato privatizador e aos verdes fundamentalistas que acham que progresso não combina com preservação, tanto que atacam o Bolsa Família como se fosse uma aberração e adoram o Bolsa Doutor, da qual a maioria deles vivem. Se essa divisão continuar se radicalizando vamos ter um Brasil dos verdes que defendem as Baleias Azuis do Tibet e os outros que defendem o Verde de Fome do sertão do Cariri. A possibilidade de se repetir a triste forma de fazer política que temos assistido durante essas duas ultimas décadas com essa guerra entre tucanos e petistas, pode se tornar real. Os Verdes da Marina tem que se aliar aos Verdes de Fome contra o perigo da volta ao poder central do tucanato paulista que não está nem ai para uma coisa ou outra. Eles só olham para a elite paulista. O lance deles é privatizar e levar o seu. Que o verde do Bolsa Doutor se alie ao verde de fome do Bolsa Família.
Share:

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Orkut, Facebook e a guerrilha midiática nas eleições


A internet é usada por seres humanos embora não pareça e é um espelho da sociedade, embora por trás dos teclados muita gente solte suas frangas com mais vigor e muita gente sai do armário do preconceito, para o bem e para o mal. O Orkut por ser o programa chat mais divulgado no Brasil, virou a ferramenta mais comum para as classes populares enquanto o Facebook, que entrou depois e por ser mais conhecido nos EUA e na Europa, acabou sendo usado preferencialmente pelas classes que ocupam a parte mais elevada da gorda pirâmide social brasileira. Isso para deleite de alguns elitistas é o máximo. Só em se saber usuário de algo que o separe da patuléia por si só já é um feito maravilhoso. Navegando entre um e outro dá para perceber as distinções. Manaus tem uma elite barelândia oriunda de antigos donos de seringais, comerciantes árabes, judeus e portugueses que acabaram batendo com os costados na Amazônia infernal, porem rica, no outrora tempo áureo da borracha, fizeram fortuna e por aqui ficaram. Seus descendentes decaídos em dinheiro são os que ocupam hoje as páginas do Facebook. Como diz um amigo psiquiatra, é um bando que se acha quatrocentão rastaquera baré, lisos e confiados. Essa elite é desbragadamente desapegada das suas origens e tenta desesperadamente criar uma identidade mais próxima do eixo Rio-São Paulo-Floripa. Nas eleições era claro que alguns votavam na Marina por ser candidata da grife do Leblon e Ipanema, a candidata dos Globais e da “Onda Verde” ambientalista criada em cativeiro. Outros se identificavam com o Serra por ouvir nas baladas do Itaim paulista que ele é o cara e que o Lula é um metalúrgico ladrão de quinta categoria que não fez faculdade e que não fala inglês. Ficou claro que no Facebok a preferência era por Marina ou Serra por serem representantes das elites do Brasil. A Dilma foi vitima de campanha difamatória preconceituosa criada nas redações sórdidas dos jornalões que apóiam a candidatura neoliberal do Serra e da tucanalhada paulista. Enquanto isso, percebi mais apoio a candidatura Dilma no Orkut, talvez por ser usada pela camada trabalhadora e operaria que sente as mudanças que o pais teve no governo Lula. Isso dá pano para um estudo sociológico.
Share:

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O eco-capitalismo como arma do Neo Colonialismo Ambiental pode causar estragos no Brasil


A Marina Silva é laranja do Neo Colonialismo Ambiental, criado nos meados do século 20 em substituição aos canhões ingleses que dominavam os mares até meados do século passado. Eles foram substituídos por outra forma de colonização mais batata e asséptica, inventaram uma nova modalidade de interferência e dominação nas terras alheias, através de um discurso ambientalista com a clara intenção de impedir a ascensão econômica das antigas colônias, impedindo-as de explorar suas riquezas e potenciais através de regras preservacionistas aplicadas ao mundo todo, menos a eles. Para isso contam com um exercito de Ambientalistas Criados em Cativeiro, que como escoteiros fundamentalistas saídos das universidades, engolem as cartilhas escritas nos altos escritórios de onde sai à grana que injeta bilhões de dólares nas ONGs. Esse exército conta com a prestimosa ajuda de mascates das selvas de origens virgilios vianenses. Essa ideologia é a ideologia da moda. Por isso os atores globais são todos verdes. É a nova direita eco-ambientalista que se espalha pela elite conservadora em substituição ao velho e antiquado ódio as classes trabalhadoras. Tudo que for dentro da possibilidade de progresso e ascensão dessas classes, e que tenha uma idéia vaga de progresso delas, é rejeitado por essa elite que agora também se esconde atrás do discurso ambientalista fundamentalista conservador. A nova UDN se funde com o eco imperialismo e vai sabotar a ascensão da classe trabalhadora do Brasil que vem sendo conduzida pelo governo Lula. Mesmo assim...viva o Brasil!!
Share:

sábado, 2 de outubro de 2010

A onda não é vermelha nem verde, é laranja.


Essa eleição vai ser marcada como a eleição dos clichês, rótulos e apelidos. O Tiririca encerra a Era dos Aloprados e começa a Era dos Abestados. Outra coisa nessa eleição foram os nomes dados aos movimentos em torno das candidaturas. A campanha da Dilma ficou conhecida como “Onda Vermelha" por ser a cor do PT, das bandeiras socialistas e dos movimentos sociais de base. A da Marina chamada de “Onda Verde” por estar atrelada ao Partido Verde e as bandeiras do ambientalismo. A do Serra é a “Onda Azul” por surfar em mares que não estão pra peixe. A do Plinio deveria ser chamada de “Onda Amarela e Rosa” por ser a campanha mais próxima do circo.
O fato é que essa eleição na verdade é a eleição dos laranjas. A Dilma é o laranja do Lula por herdar um governo com altíssimos índices de aprovação, altos índices de resultados econômicos e sociais, portanto ela é laranja assumida. O Serra é o eterno laranja do FCH, mesmo tentando esconder isso o tempo todo por causa do alto índice de rejeição ao final do governo tucano. Até na garupa do Lula ele tentou subir durante a campanha, mas levou um sacode da Dilma e desembarcou. A Marina Silva é laranja do Neo Colonialismo Ambiental, criado nos meados do século 20 em substituição aos canhões dos ingleses que dominavam os mares até meados do século passado. Eles perderam a força em poder de fogo e inventaram uma nova modalidade de interferência e dominação nas terras alheias, através de um discurso ambientalista com a clara intenção de impedir a ascensão econômica das antigas colônias, impedindo-as de explorar suas riquezas e potenciais através de regras preservacionistas aplicadas ao mundo todo, menos a eles. Para isso contam com um exercito de Ambientalistas Criados em Cativeiro, que como escoteiros fundamentalistas saídos das universidades paulistas, engolem as cartilhas escritas nos altos escritórios de onde sai à grana que injeta bilhões de dólares nas ONGs. Esse exercito conta com a prestimosa ajuda de mascates das selvas de origens virgilios vianenses. Essa ideologia é a ideologia da moda. Por isso os atores globais são todos verdes.
De todos os laranjas, o laranja mais honesto é a Weslian Roriz, a mulher do Joaquim Roriz. Ela é laranja por amor, ela é como a Amélia, mulher de verdade. Submete-se ao ridículo para apoiar o traste corrupto do marido dela. Ela é a rainha dos laranjas.
Quando for votar, não beba, pois laranjas são todas da mesma cor e pode dar confusão mental. Leve sua carteirinha do veterinário que serve.
Share:
Tecnologia do Blogger.

OCUPE REDE GLOBO

Loading...

Pesquisar este blog

Veja meu site profissional

Veja meu site profissional
Jorge Laborda é um cara metido a designer, escritor e a ser humano.

Blogs que vale conferir

Arquivo do blog

Definition List

Contact

Support